Bispo de Viana do Castelo

"A pobreza é um murro no estômago de toda a gente na sociedade moderna"

"A pobreza é um murro no estômago de toda a gente na sociedade moderna"

O bispo D. João Lavrador, nomeado há um ano para a Diocese de Viana do Castelo (21 de setembro de 2021), considera que a pobreza "grassa" em território nacional, sem que sejam tomadas medidas concretas para a combater. Afirma que até agora não foi implementado um modelo económico e social, capaz de a mitigar e lamenta que as populações vulneráveis não sejam tidas como prioridade.

Em causa, os últimos dados divulgados pelo Eurostat, que indicam que atualmente existem 2,3 milhões de pobres e colocam o país em 8.º entre os piores da União Europeia.

Em entrevista à TSF, D. João Lavrador considerou que esta realidade, que tem vindo a afetar de forma crescente a diocese minhota, "é um murro no estômago" e tem de ser combatida com medidas "concretas e muito justas". "Não vale a pena andarmos com slogans e boas intenções. Temos de partir da realidade, com uma economia, uma educação, uma política familiar, social e de apoio, e então projetar, porque senão, podemos ter muito boas intenções mas realmente nunca lá chegamos", afirmou o Bispo de Viana do Castelo, referindo: "Os indicadores estão aí e eu pergunto-me: planos para dez anos? Ainda há pouco estive a ler as propostas de uma determinada entidade para a erradicação da pobreza e digo que é lamentável que tudo seja teórico. Que medidas é que estão lá? Nenhuma. Só aparecem intenções".

PUB

"A pobreza é um murro no estômago de toda a gente na sociedade moderna. Ainda não acertamos com o modelo de sociedade e principalmente com o modelo económico", vincou, defendendo que a escolaridade deve ser "fator" determinante para a mitigação dos níveis de pobreza.

"Preocupa a falta de coragem talvez ou a falta de assertividade no sentido de responder a esta questão. Por isso, é para mim uma preocupação muito grande este problema que está a grassar no nosso país", disse, acrescentando: "Ano após ano lamentavelmente parece que está a crescer e mais uma vez estes relatórios [Eurostat] vieram-nos dizer que Portugal, mais uma vez, está na cauda daqueles que, no fundo não são capazes de responder a esta questão da pobreza".

Populações vulneráveis sem medidas concretas

D. João Lavrador faz ainda uma chamada de atenção para a ausência de medidas objetivas para as populações vulneráveis.

"Há um problema que está mais que dito e nas sociedades modernas devia estar presente que é: deve-se dar centralidade em todas as decisões à pessoa. E se a pessoa é vulnerável, deve ter o primeiro lugar. Será que alguém faz um Orçamento de Estado a pensar prioritariamente nos vulneráveis, nos mais fracos e nos desprotegidos?", questionou.

Na entrevista à TSF, o Bispo de Viana também comentou o tema dos abusos sexuais no seio da Igreja. "É uma realidade lamentável. É um crime horrendo. Um caso já bastaria para nós nos envergonharmos, embora recaia sobre a condição humana e de cada um que o pratica. No entanto, sendo numa instituição, sendo membros de uma instituição e às vezes membros qualificados, pior ainda", declarou, continuando: "Sou o primeiro interessado em que a questão seja, não digo resolvida, mas que seja encaminhada, que haja uma tomada de posição. Digo que não é resolvida porque, infelizmente, a condição humana a todo o momento cria estas situações". Indicou que não tem conhecimento de que tenha sido denunciado qualquer caso na Diocese de Viana do Castelo e considerou que é preciso acautelar situações futuras. "Obriga-nos muito mais à formação, a estar atentos, a criar condições para que as coisas estejam controladas e não caíamos nisto, em ordem a prevenirmos o futuro", defendeu.

D. João Lavrador foi nomeado Bispo de Viana do Castelo, em 21 de setembro de 2021. Era então Bispo de Angra, nos Açores. Tomou posse em 27 de novembro.

A Diocese de Viana do Castelo, a mais jovem do país, estava há um ano sem Bispo, desde a trágica morte em setembro de 2020 de D. Anacleto Oliveira, num acidente rodoviário na zona de Beja, quando regressava de férias no Algarve. D, João Lavrador é presidente da comissão episcopal da cultura, bens culturais e comunicações sociais

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG