Lobo Ibérico

Abate de lobo em Espanha causa indignação em Portugal

Abate de lobo em Espanha causa indignação em Portugal

No passado dia 19 de maio, um lobo-ibérico foi abatido legalmente a tiro por funcionários da Junta de Castela e Leão junto à fronteira com Portugal. Organizações portuguesas e espanholas juntam-se agora para reclamar a protecção desta espécie que está "em perigo".

O abate legal de um lobo no município de Porto Seguro, Salamanca, originou o protesto por parte dos defensores da espécie. Num comunicado, um grupo de associações defensoras do lobo afirma que a "frágil população portuguesa de lobos a sul do rio Douro" está ameaçada e que este abate "põe em causa o contexto de apoio nacional e comunitário à conservação" deste canídeo selvagem.

Esta morte foi considerada pela junta de Castela e Leão como uma acção de controlo populacional de carácter "excepcional", para evitar ataques de lobos a criações de gado. O lobo abatido foi considerado pelas autoridades como "problemático", mas ainda não existe uma explicação objectiva para esta classificação.

O lobo abatido tratava-se provavelmente de um animal com território entre Portugal e Espanha, hipótese essa sustentada pela regularidade de avistamentos nas localidades portuguesas próximas da espanhola, segundo o comunicado.

Portugal possui uma lei nacional de protecção do lobo, pois este canídeo selvagem possui o estatuto nacional de "em perigo" e é uma "espécie protegida". Uma das medidas de protecção é o pagamento de uma indemnização aos produtores de gado que sejam afetados. Para evitar o ataque do gado, os produtores podem adoptar medidas como a utilização de cão-de-gado, cercas impermeáveis a carnívoros, confinamento nocturno, vigilância, entre outras.

Já em Espanha, a presença do lobo-ibérico está sujeita a três tipos de gestão distinta:a espécie é totalmente protegida no sul do Douro mas pode ser caçada legalmente a norte do Douro na Comunidade Autónoma de Castela e Leão e alguns locais da Galiza e pode ainda ser abatida por funcionários do Estado/Comunidade Autónoma em prol de uma uma estratégia de controle populacional nas Astúrias e outros locais a norte do rio Douro.

A "Zoo Logical" (associação de inovação para o conhecimento, divulgação e conservação da Fauna) afirma que a morte do lobo-ibérico não é a solução ideial, porque pode "desestruturar as alcateias, fazendo com que não tenham capacidade para caçar animais selvagens como o javali ou o corço, obrigando os indivíduos solitários a causar ainda maiores danos na pecuária".

PUB

Este abate é considerado pelo conjunto de associações de protecção do lobo (espanholas e portuguesas), como um "sinónimo da não existência de cooperação e coerência de gestão e conservação da espécie a nível transfronteiriço" , visto que a União Europeia apoia projectos de conservação do lobo numa área portuguesa e na zona imediatamente adjacente em Espanha permite que os mesmos lobos sejam abatidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG