Sinistralidade

Acidentes nas estradas mataram 53 pessoas nos dois primeiros meses do ano

Acidentes nas estradas mataram 53 pessoas nos dois primeiros meses do ano

Os acidentes rodoviários mataram 53 pessoas e feriram gravemente 301 nos primeiros dois meses do ano. A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) assinala uma redução do número de acidentes com vítimas (menos 167 sinistros) em comparação com 2019.

Metade (49,1%) das vítimas mortais conduzia o veículo no momento do sinistro, enquanto 32,5% morreram atropeladas. O tipo de acidente mais frequente foi a colisão, "apesar do maior número de vítimas mortais ter resultado de despistes, assinala a ANSR no relatório da sinistralidade registada em janeiro e em fevereiro, divulgado esta terça-feira.

Cerca de 78% dos acidentes com vítimas envolvem automóveis e grande parte dos sinistros ocorrem em arruamentos locais. Quase metade das mortes (47%) resultou de sinistros em ruas. Ainda assim, em comparação com o período homólogo de 2019, houve uma diminuição do número de vítimas mortais em todas as vias, com destaque para as estradas nacionais e para as estradas municipais (menos 26 mortos em ambas as tipologias).

No entanto, os condutores continuam a acelerar. O excesso de velocidade corresponde a cerca de 57% das infrações registadas pelas autoridades nas estradas nacionais. Em janeiro e em fevereiro, a GNR e a PSP fiscalizaram 23 milhões de viaturas, mais 60% do que em igual período do ano anterior. O número de infrações também cresceu: mais 14%. Ou seja, houve mais de 262 mil infrações.

Só em fevereiro morreram 23 pessoas e ficaram 170 gravemente feridas num total de 2397 sinistros com vítimas nas vias portuguesas. Contam-se ainda 2880 feridos ligeiros.

Outras Notícias