Covid-19

Açores deverá atingir imunidade de grupo em julho

Açores deverá atingir imunidade de grupo em julho

Os Açores deverão atingir a imunidade comunitária à covid-19 em julho, anunciou esta quarta-feira o Governo açoriano, que receberá uma majoração de vacinas para as ilhas sem hospital, o que permitirá reforçar as restantes através do contingente regional.

Segundo o presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, a região terá "uma majoração de vacinas para garantir a inoculação nas ilhas sem hospital", que será, também, acompanhada pelo apoio de "uma equipa nova de militares: seis enfermeiros, dois médicos e um farmacêutico".

José Manuel Bolieiro, que falava em conferência de imprensa no Palácio de Santana, em Ponta Delgada, acompanhado do vice-presidente e do secretário regional da Saúde e do Desporto, adiantou que esta é uma majoração concedida pelo Governo da República, que disponibilizará cerca de 30 mil doses da vacina da Pfizer contra a covid-19.

Assim, e tendo a ilha do Corvo já atingido a imunidade à doença causada pelo novo coronavírus em março, as 15 mil doses que vão chegar à região já esta semana, serão distribuídas pelas ilhas de Santa Maria, Graciosa, Pico, São Jorge e Flores.

Com esta iniciativa, o executivo antecipa a "estimativa de calendário de cumprimento do objetivo imunidade comunitária", que prevê que 70% da população esteja vacinada.

A expectativa do Governo açoriano é que, "durante o mês de julho", a região possa atingir a "imunidade comunitária em todas as ilhas", afirmou José Manuel Bolieiro, acrescentando que os Açores têm, neste momento, "em 'stock' do contingente da região 9.662 vacinas".

"Adquirida esta majoração de vacinas e esta equipa, as ilhas com hospital, designadamente as ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, contarão com o reforço da aplicação e alocação das vacinas do nosso próprio 'stock', do nosso contingente, para reforço", começando "pela ilha de São Miguel, porque é, neste momento, a única com [casos de covid-19] ativos".

PUB

O presidente do Governo Regional frisou ainda que a equipa militar que já está a caminho da região irá "complementar a capacidade instalada" e que, "com a entrada em vigor do orçamento da Região Autónoma dos Açores, a partir de ontem [terça-feira]", há "agora condições de reforçar estas equipas com enfermeiros e profissionais de saúde".

Será ainda criada uma equipa de três enfermeiros da região que irá acompanhar o processo nas ilhas sem hospital.

José Manuel Bolieiro deixou uma "palavra de apreço e de gratidão" ao Governo da República, especificamente à secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, que defendeu a "importância estratégica de considerar as Regiões Ultraperiféricas como um laboratório epidemiológico e de conquista de imunidade comunitária", e ao ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, "que assegurou os meios militares que ajudarão" no processo.

Também o presidente da 'task force' para a vacinação, o vice-almirante Henrique Gouveia de Melo, que chegará ao arquipélago na sexta-feira para acompanhar o processo, mereceu uma "palavra de gratidão e compromisso".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG