IPDJ

Ambiente, inclusão social e cultura: projetos de voluntariado premiados

Ambiente, inclusão social e cultura: projetos de voluntariado premiados

Cinco projetos de voluntariado desenvolvidos essencialmente por jovens, um por cada região de Portugal continental, foram premiados com os "Prémios de Boas práticas de Voluntariado 2021" pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

A iniciativa pretende assinalar o Dia Internacional do Voluntário, que se assinala a 5 de dezembro. A sustentabilidade ambiental, inclusão social e cultura foram as áreas de ação dos projetos.

Sob o mote "Voluntário para um futuro inclusivo", o IPDJ premiou cinco projetos de voluntariado, no âmbito do dia Internacional do Voluntário, que se celebra a 5 de dezembro. Três dos projetos foram desenvolvidos por jovens e direcionaram-se para sustentabilidade ambiental contando uma dimensão social, e dois atuaram exclusivamente no âmbito da inclusão social, integrando voluntários de todas as idades. A cultura também teve destaque em dois desses projetos.

No Norte do país o projeto "Precious Green" desenvolvido pela Academia de Formação Equestre e Hipoterapia de Valongo e Campo foi o selecionado. O objetivo do projeto foi a proteção da área florestal e o reforço das respostas sociais, através da integração de pessoas em risco e com menos oportunidades. Para além da vigia das matas, apoiaram-se famílias desfavorecidas, que poderiam participar nessa ação e montar a cavalo, assim como tratar dos mesmos.

A transformação do espaço florestal de Canelas num corta-fogo para proteger a povoação dos incêndios, na região Centro, mereceu a distinção do projeto "Lusitanica 2.0" da Associação Bioliving de Aveiro com o prémio do IPDJ. A ação promoveu a valorização da biodiversidade dessa "micro-reserva" extremamente perturbada pela agricultura intensiva e pelas monoculturas de eucalipto. Um moinho e uma fonte, património cultural característico da aldeia de Canelas, também integraram a área de proteção do projeto.

A Associação Jovens Aventureiros que promoveu o projeto "2.º Vida a Custo Zero" foi o vencedor na zona de Lisboa e Vale do Tejo. O voluntariado consistiu na educação para a sustentabilidade junto dos mais jovens, para a promoção de valores, a mudança de atitudes e de comportamentos face ao ambiente. O objetivo era demonstrar-lhes que são agentes de transformação social, enquanto consumidores, levando-os a refletir sobre os principais desafios do desenvolvimento sustentável e da importância de dar uma segunda vida aos objetos, gerando menos lixo.

No Alentejo, o prémio foi para o projeto "DigiBooK"s" pela publicação oficial de livros em versão e-book, sem quaisquer custos, de autores de todas as idades, desde crianças, jovens, adultos e seniores e de entidades formais e informais (associações, grupos literários, entre outros) que residissem em território nacional. O voluntariado foi organizado pelo Instituto Cultural de Évora e envolveu também a organização de eventos culturais (em meio digital) relativos a esses mesmos e-books, autores e entidades.

PUB

O voluntariado "Atividades de Verão" da Associação Teia D"Impulsos, desenvolvido durante o verão, destinado a crianças e jovens com necessidades especiais ou em risco promoveu atividades lúdicas, desportivas e culturais junto dos participantes e das suas famílias. A iniciativa promoveu a autonomia, inclusão social, a qualidade de vida e bem-estar tendo como objetivo preencher uma lacuna de organização e resposta social durante o verão para esses jovens reduzindo as desigualdades sociais que ainda existem atualmente.

Segundo o Inquérito ao Trabalho Voluntário, do Instituto Nacional de Estatística, o escalão etário com maior taxa de voluntariado é o dos 15 aos 24 anos. Os "Prémios de Boas práticas de Voluntariado 2021" pretendem realçar "a importância do trabalho voluntário realizado pelas pessoas jovens, valorizando as suas características de atuação, o impacto nas comunidades e o seu papel enquanto escolas de cidadania ativa e de participação cívica".

O IPDJ, que em 2020 promoveu 400 ações de voluntariado envolvendo cerca de 3000 jovens. Segundo o IPDJ "a prática do voluntariado é uma experiência cívica enriquecedora que contribui para a autoconfiança, responsabilidade e espírito de equipa, assegurando igualmente a concretização de algumas políticas públicas, dando-lhe uma dimensão de maior proximidade e sendo um verdadeiro barómetro dos níveis da prática da cidadania. A celebração foi instituída pelas Nações Unidas a 17 de dezembro de 1985, tendo por objetivo incentivar e valorizar o trabalho voluntário".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG