D. Américo Aguiar

Comissão para investigar abusos na Igreja foi escolha "acertada", diz Bispo Auxiliar de Lisboa

Hermana Cruz

D. Américo Aguiar diz que "estão criadas as condições" para que haja "coragem" para denunciar

Foto Igor Martins / Global Imagens

O Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Américo Aguiar, considerou, este sábado, no Porto que a decisão de se criar a Comissão Independente para o Estudo de Abusos contra as Crianças na Igreja Católica em Portugal, presidida por Pedro Strecht, "foi uma decisão certa da Igreja".

Para D. Américo Aguiar, os casos que estão a vir a público significam que "estão criadas as condições" para que haja "coragem" para denunciar. O Bispo Auxiliar de Lisboa reafirmou, assim, que haverá "tolerância zero aos abusos". "A transparência total que o Papa Francisco nos pede está a acontecer", disse, no dia em que foi tornado público que o Bispo de Leiria-Fátima e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. José Ornelas, está a ser alvo de uma investigação por suspeitas de "comparticipação em encobrimento" de casos de abusos sexuais.

"Este caminho que estamos a percorrer foi uma decisão certa da Igreja. Aliás, a criação de uma comissão independente e o desafio que o dr. Pedro Strecht acolheu foi a decisão certa e é esse caminho que estamos a percorrer, de criar condições para que qualquer pessoa, qualquer jovem, qualquer menor que tenha sofrido qualquer tipo de abuso se sinta encorajado, se sinta seguro, para poder abrir o seu coração, partilhar o seu sofrimento e possamos curar as suas feridas", referiu D. Américo Aguiar.

O Bispo Auxiliar de Lisboa falava à margem da chegada ao Porto dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). "Isto tudo que tem acontecido significa que essas condições estão a ser criadas", rematou.

Relacionadas