Retidos no Porto

Duas viagens à Madeira sem aterrar e sem assistência em terra

Erika Nunes

Centenas de pessoas aguardaram por assistência da Easyjet que não chegou, reclamam passageiros.

Foto Direitos Reservados

Centenas de passageiros retidos desde esta quinta-feira no Aeroporto do Porto reclamam refeições e atendimento da companhia aérea Easyjet.

Centenas de passageiros da Easyjet já viajaram duas vezes do Porto para a Madeira, esta quinta e sexta-feira, mas não conseguiram aterrar e acusam a companhia aérea de falta de assistência no aeroporto ou por telefone.

Encaminhados para hotel por duas noites, esta sexta-feira ainda tiveram de esperar cerca de quatro horas pelo transporte para a unidade Meliá de Braga, onde pernoitaram. Não foram informados quanto a refeições e continuam sem saber quem assume custos de reservas perdidas em hotéis e rent-a-car.

"Conseguimos que nos atendessem em inglês ao fim do segundo dia, mas disseram que não iriam reembolsar custos de refeições ou transporte [alguns passageiros regressaram a casa de táxi]", reclamou Ana Mendes, uma das passageiras afetadas.

Aos passageiros de ontem juntaram-se, hoje, viajantes de outro voo que não pôde aterrar no Funchal, nem em Porto Santo.

"Continua a não haver refeições, há muitas pessoas com crianças e bebés, e não sabemos como ficam as reservas de hotel e de carro que muitos já tinham feito para estas férias", lamentou Ana Mendes.

O mau tempo condicionou o Aeroporto da Madeira entre as 13 horas de quinta-feira e as 17 horas desta sexta-feira, tendo sido canceladas cinco ligações: de Londres (British Airways), três de Lisboa e Porto (Easyjet) e uma de Glasgow (Jet2.com). Os passageiros Easyjet no Porto têm novos voos agendados para este sábado, às 12 e às 17 horas.

De acordo com a imprensa regional, os passageiros Easyjet que aguardavam na Madeira para voar para outros destinos também se indignaram pela falta de assistência no aeroporto, nomeadamente os procedimentos a adotar.

Segundo a página de internet dos Aeroportos da Madeira, até cerca das 20,30 horas de hoje, apenas aterraram 11 aeronaves oriundas sobretudo de aeroportos internacionais e um avião da TAP de Lisboa. O movimento terá começado a normalizar após as 17 horas, permitindo aterrar todos os voos desde então.

Ao JN, fonte da Easyjet esclareceu que a assistência da "low cost" no aeroporto é prestada através da PortWay, que informou a companhia ter encaminhado os passageiros para hotéis e distribuídos vouchers para refeições, estando confirmada a realização dos referidos voos agendados para este sábado para a Madeira.