Covid-19

Primeiro voo de repatriamento de Moçambique anunciado em breve

Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades Portuguesas

Foto Fábio Poço / Arquivo Global Imagens

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, disse esta segunda-feira que os serviços consulares de Maputo e Beira, bem como a Embaixada de Portugal na capital de Moçambique, estão a trabalhar com a TAP para anunciar o mais breve possível o primeiro voo de repatriamento.

"Podem vir todos os portugueses, todas as pessoas que não sendo portuguesas têm residência em Portugal e ainda pessoas que precisem de vir por motivos humanitários, de saúde ou outros. Esses critérios serão avaliados localmente pelos consulados que já estão a receber informação de pessoas que têm interesse em vir", explicou, durante uma visita a Alfândega da Fé.

O primeiro voo deverá ser anunciado até esta terça-feira, acrescentou. "Haverá tantos voos de repatriamento quantos forem necessários porque estamos a falar de cancelamentos de voos da TAP, que voa três vezes por semana de Maputo, e que estavam lotados com reservas. Todas as pessoas que tinham reservas na TAP serão consideradas, mas tendo em conta os critérios", acrescentou a secretária de Estado.

Esta segunda-feira de manhã foi realizada uma reunião preparatória e, segundo Berta Nunes, ficou a saber-se "que algumas pessoas estão a desistir por causa da quarentena à chegada", uma vez que passa a ser exigida, além do teste covid-19 negativo. A quarentena obrigatória, acredita, "pode levar muita gente a desistir". Pelo que se sabe há muitos interessados em viajar, com o objetivo de passar o Natal em Portugal.

Os consulados vão fazer a avaliação localmente com a TAP sobre os interessados e as desistências.

Os passageiros com reservas vão pagar o valor de um voo regular e para os outros ainda não está definido. "Isso está a ser trabalhado com a TAP", afirmou a secretária de Estado, que prometeu que se vai atender a todas as pessoas que desejam vir, "tendo em conta os critérios".

O governo português também está a trabalhar com a Embaixada de Moçambique em Lisboa para que todos os que queiram viajar para aquele país africano, aproveitando os voos da TAP, o possam fazer. "Os voos serão tantos quantos forem necessários, enquanto durar esta situação. Esperamos que se possa resolver porque ainda há muita incerteza sobre a questão da nova variante da covid-19, a ómicron", sublinhou Berta Nunes.

Relacionadas