Pandemia

Grécia: como um teste positivo à covid mudou as férias de uma família do Porto

 foto DR

 foto DR

 foto DR

 foto DR

 foto DR

Com destino à ilha de Paros, na Grécia, onde ia passar dez dias de férias, uma família do Porto viu os seus planos estragados por um resultado positivo à covid-19, após a realização de um teste rápido à chegada ao aeroporto de Atenas. Só o pai, Jaime Reis, de 45 anos, foi testado.

Aterraram em Atenas e de lá não saíram mais. No passado sábado, Brenda Domingues, de 38 anos, o marido, Jaime Reis, de 45 anos, e os filhos, de sete e 11 anos, estavam a meio da viagem que os ia levar dez dias à ilha de Paros, na Grécia. À chegada ao aeroporto de Atenas, onde iriam seguir depois para a ilha, um teste rápido de Jaime à covid-19, que deu positivo, deixou os planos em suspenso.

O casal tem o certificado de vacinação mas, à chegada à Grécia, os passageiros são subtemidos aleatoriamente a testes rápidos. De acordo com Brenda, pelo menos uma pessoa por grupo, independentemente de ter a vacinação completa, foi testada.

Depois desse resultado, foi feito um teste PCR, ainda no aeroporto, por um médico. "Até hoje, ainda não sabemos o resultado", revela Brenda Domingues ao JN. Foi com a Guarda Civil grega que o casal e os dois filhos foram colocados num táxi e enviados para um hotel já designado para situações de isolamento profilático.

A família foi colocada em dois quartos: Jaime num, e Brenda e as crianças noutro. Isto porque, podendo Jaime estar positivo, seria mais seguro para as crianças, esclarece Brenda. "Mas nunca me testaram ou aos meus filhos. Não se compreende", clarifica.

"Sou médica e sei como as coisas funcionam e acho muito bem que se tenha de cumprir isolamento. Mas são estas incongruências que não percebemos", confessa.

Segundo teste

A pedido de Jaime, um laboratório foi até ao hotel, ao seu quarto, realizar um novo teste PCR. O resultado, desta vez negativo, foi encaminhado para a Proteção Civil, assegura Brenda.

Foi a partir de segunda-feira, altura em que a família começou a entrar em contacto com a Embaixada e Consulado português que as autoridades começaram a dar algumas respostas à família.

"O meu marido tentou saber se podia procurar uma casa isolada para arrendar de forma a que pudéssemos ficar todos juntos a cumprir o isolamento e, caso o proprietário concordasse, ficávamos lá", explica. A Proteção Civil autorizou a mudança esta terça-feira e a família instalou-se durante a tarde desta quarta-feira.

Esta manhã, Jaime foi ainda submetido a um segundo teste PCR pelo Governo grego.

Os custos da viagem deverão ser, em parte, ressarcidos, uma vez que a família tem seguro de viagem, clarifica Brenda. Entretanto, o casal e os filhos já se instalaram numa moradia, com piscina, que lhes vai permitir aproveitar o resto das férias.

A família regressa ao Porto a 10 de agosto.