Sondagem

Montenegro apanha mas não ultrapassa Ventura

Rafael Barbosa

Luís Montenegro

Foto Miguel A. Lopes/lusa

Ao líder do PSD ainda falta convencer mais votantes do seu próprio partido para conseguir ser "eleito" principal figura da Oposição. No mais recente barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF está empatado com o líder do Chega.

Ainda não foi desta que André Ventura perdeu a "corrida" a principal figura da Oposição. Mas o líder do Chega já tem Luís Montenegro a par, mesmo que o presidente do PSD não tenha lugar no Parlamento, o que provavelmente o prejudica em termos mediáticos. Têm ambos 30 pontos e estão muito longe de todos os restantes líderes partidários, de acordo com a sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF.

Foi em maio passado que Luís Montenegro foi eleito presidente do PSD. E foi em julho que o congresso lhe deu todas as ferramentas de liderança. No barómetro desse mês, não conseguiu mais do que 19% na "eleição" para principal figura de Oposição. Mas, o verão passou e o social-democrata não só conquistou mais apoios, como cresceu à custa do líder da direita radical.

PSD metropolitano

Quando se analisam os diferentes segmentos, percebe-se que há diferenças de vulto entre os seus "apoiantes". No que diz respeito ao género, os homens inclinam-se para Montenegro (36%) e as mulheres, de forma um pouco surpreendente, para Ventura (29%). Quando o critério é a geografia, o líder do PSD está à frente nas duas áreas metropolitanas, e o do Chega no resto do país. No que diz respeito às idades e às classes sociais, a diferença também é bastante evidente: Montenegro vence entre os mais velhos e entre os dois escalões com maiores rendimentos; Ventura está à frente entre os mais novos e nos dois escalões mais pobres.

Quando a atenção incide sobre o voto partidário, Ventura domina entre os eleitores do Chega (82%), nem tanto no caso de Montenegro. Os eleitores do PSD até lhe dão o título de principal figura da Oposição (54%), mas ainda há 29% que apontam ao líder dos radicais de Direita. Tivesse Montenegro já convencido os seus próprios eleitores e estaria na liderança.

Oposição negativa

É duvidoso, no entanto, que este seja um cargo de grande prestígio. A avaliação dos portugueses à Oposição tem-se mantido constante, mas pela negativa: desde abril que o saldo é de 22 pontos negativos e assim se mantém desta vez.

Há um único segmento em que a avaliação é positiva (mas apenas com um saldo de um ponto), os eleitores do Chega. Entre os restantes reina a insatisfação com a Oposição, incluindo entre os sociais-democratas (saldo negativo de quatro pontos).

Relacionadas