PSD

Rio critica deputados antigos que não queriam sair

Ana Luísa Delgado e Hermana Cruz

Rui Rio criticou deputados que se recusam a sair, apesar de estarem há vários anos no Parlamento

Foto Nuno Veiga/lusa

Em respostas às acusações de "saneamento político" nas listas de candidatos às legislativas, Rui Rio acusou os deputados que estão há muitos anos no Parlamento e não querem sair, como os dos círculos da emigração.

O líder do PSD encerrou um debate aceso e crispado sobre as listas de candidatos às legislativas, no Conselho Nacional que decorre em Évora, com duras crítica àqueles que são deputados há muitos anos e se recusam a sair.

Rui Rio reagia, assim, às acusações de "saneamento político" por ter afastado apoiantes de Paulo Rangel como os líderes distritais de Viseu, Coimbra e Faro e ao facto de o próprio eurodeputado ter criticado a falta de democracia na escolha dos candidatos do partido.

Segundo apurámos, o líder do PSD nomeou três nomes: os dos deputados pelos círculos da Europa e de Fora da Europa, respetivamente Carlos Gonçalves e José Cesário; e o de Pedro Pinto, antigo braço-direito de Pedro Santana Lopes, ex-líder distrital de Lisboa.

Depois, garantiu que incluiu nas listas vários apoiantes de Paulo Rangel mas não destacou qualquer nome. Apenas mostrou que teria um papel com esses rangelistas.

Momentos antes, o secretário-geral do PSD, José Silvano, tinha desvalorizado a escolha dos candidatos, dizendo possuir estudos que mostram que têm pouco impacto no resultado das legislativas.

Relacionadas