Municípios

AMPorto acredita que "diálogo" levará o Porto a reconsiderar saída da ANMP

AMPorto acredita que "diálogo" levará o Porto a reconsiderar saída da ANMP

O presidente da Área Metropolitana do Porto acredita que a intenção da Câmara do Porto de sair da Associação Nacional de Municípios (ANMP), que hoje vai ser votada na assembleia municipal, não será definitiva após um "caminho de diálogo".

"O que vai hoje ser votado é a intenção que é proposta pela Câmara do Porto [de sair da ANMP], mas nesse intervalo de tempo continua a haver tempo para que em diálogo consigamos uma solução de maior consenso", disse o também presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, no final da reunião do executivo municipal.

A Assembleia Municipal do Porto vota esta segunda-feira a saída da autarquia da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), por querer assumir de forma "independente" e "sem qualquer representação" o processo de descentralização.

PUB

Este intento, que foi já aprovado em reunião de câmara, com os votos a favor do movimento independente, a abstenção do vereador do PSD Alberto Machado e os votos contra do PS, BE, CDU e do social-democrata Vladimiro Feliz, vai hoje a votos na Assembleia Municipal.

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, fez conhecer a sua vontade de abandonar este organismo a 12 de abril, altura em que disse que não se sentia em "condições" para passar "um cheque em branco" à ANMP para negociar com o Governo a transferência de competências.

"Já o disse e repito, acho mesmo que até ao limite da votação e mesmo depois da votação há todo um longo procedimento para sair", referiu Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca acredita que Rui Moreira vá reconsiderar depois de, na sexta-feira, ter sido aprovado o Orçamento de Estado com uma dotação orçamental de quase 11 milhões de euros.

Estes cerca de 11 milhões de euros não resolvem o problema, mas mostra uma disponibilidade por parte do Governo para "abrir a porta à negociação", considerou.

Além disso, Eduardo Vítor Rodrigues acha que vai prevalecer a "consideração" que o Porto e outros municípios têm para com "a colega da Área Metropolitana do Porto" e líder da ANMP, Luísa Salgueiro, também presidente da Câmara Municipal de Matosinhos.

Eduardo Vítor Rodrigues entendeu que "não adianta" para o Porto ou ANMP esta "fragilização" porque saem todos "mais fracos".

"Se o objetivo é pugnar junto do governo vamos todos juntos porque juntos somos mais fortes", vincou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG