Presidenciais

Ana Gomes: "Se não lutasse, estaríamos a lamentar ainda mais a progressão da extrema-direita"

Ana Gomes: "Se não lutasse, estaríamos a lamentar ainda mais a progressão da extrema-direita"

A candidata presidencial Ana Gomes reconheceu este domingo que falhou o "objetivo de levar a uma segunda volta" as eleições e admitiu que a responsabilidade é só sua, mas garantiu que se não se tivesse candidatado "estaríamos hoje a lamentar ainda mais a progressão da extrema-direita".

Ana Gomes começou por felicitar Marcelo Rebelo de Sousa pela sua reeleição como Presidente da República. "Já tive ocasião de lhe telefonar e de lhe fazer chegar as minhas felicitações e dizer que tem o meu empenho em tudo fazer para no seu mandato reforçar a democracia e não dar mais argumentos a quem a quer destruir e que conseguiram tantos votos tirar ao PSD e CDS", afirmou, no seu discurso da noite.

"Quero agradecer a todos os portugueses que integraram as mesas de voto e permitiram a realização destas eleições. Agradeço aos mais de meio milhão de portugueses que me deram o seu voto. Não consegui o objetivo de levar a uma segunda volta nestas eleições e a responsabilidade é só minha. Assumo-a. Mas cumpri o meu objetivo central, patriótico, de representar o campo dos democratas e europeístas e impedir que o outro lado surgisse", afirmou a candidata, garantindo que se não "tivesse estado nesta luta, estaríamos hoje a lamentar ainda mais a progressão da extrema-direita".

Da desvalorização das eleições à mobilização dos jovens

"Agradeço de coração ao PAN e ao Livre, que declararam apoiar a minha candidatura independente. A minha candidatura fez-se desde a primeira hora do empenhamento de milhares de socialistas, que de Norte a Sul, das beiras ao interior, me apoiaram e ajudaram decisivamente a aqui chegar hoje. A todas e todos o meu fraternal reconhecimento, com especial destaque para os membros de governo, deputados e autarcas que deram a cara e estiveram ao meu lado", disse Ana Gomes.

Sobre a abstenção, a candidata afirmou que "não pode ser só atribuída às restrições da pandemia". "Houve quem quisesse desvalorizar estas eleições. Apesar disso, a afluência às urnas mostrou que a abstenção terá diminuído em termos reais. Isso mostra que estas eleições interessaram aos portugueses, não obstante haver um previsível vencedor, à partida. Tenho muito orgulho que a minha candidatura tenha contribuído para mobilizar mais jovens", terminou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG