O Jogo ao Vivo

Campanha

André Ventura nas fotos com cabeças de lista

André Ventura nas fotos com cabeças de lista

IL tem outdoors em locais estratégicos, os do Livre são "mini" nas listas próprias, Volt tem zero e PPM com pequenos cartazes.

Nos outdoors que o Chega instalou pelo país, o líder do partido, André Ventura, surge ao lado dos candidatos às câmaras.

Em alguns concelhos, foram complementados com cartazes de menor dimensão, onde estão os candidatos às câmaras e juntas, e com "merchandising".

"A avaliação é feita caso a caso pelas distritais e pelos núcleos concelhios", refere o Chega, cuja equipa de comunicação é interna.

A Iniciativa Liberal (IL) "funciona de forma descentralizada com elevada autonomia das candidaturas, através dos núcleos". Isso inclui estratégias e recursos. Mas há equipas nacionais de suporte, disse ao JN. São "poucos cartazes, em localizações estratégicas" e "canais digitais". Há "alguma adaptação ao contexto autárquico, com fotos de candidatos". E "em caso algum" é usada a do líder Cotrim de Figueiredo, que não é candidato. Têm outdoors de "8x3, 4x3 ou 3x2" e mupis.

"A história dos nossos outdoors é bem simples: não existem porque não há dinheiro, os donativos não chegaram e as pessoas investem em quem lhes oferece algo em retorno, o que não poderia fazer por uma questão de coerência na guerra contra a corrupção e os interesses privados no bem público", diz Diogo Araújo Dantas, candidato do PPM ao Porto. A escolha recai em material biodegradável, mas ao mesmo tempo barato. Têm meia-dúzia de pequenos cartazes.

O Livre diz apostar em "mini outdoors" (2,4 x 1,7) na maior parte das candidaturas próprias, como no Porto, Gaia e Leiria. Algumas só têm panfletos e cartazes, como Braga e Funchal. Nas coligações, são múpis, outdoors e cartazes, caso de Lisboa, Oeiras, Cascais e Felgueiras. Os símbolos do Livre estão sempre associados. E os cerca de 30 mil euros que prevê gastar também incluem sacos, t-shirts, máscaras e papoilas.

PUB

O Volt não tem outdoors. "Este meio de propaganda tem desgastado os portugueses e criado uma poluição visual pela cidade, sem regulação", diz o mandatário financeiro, Mateus Carvalho. Terá "cerca de 300 cartazes A1, frente e verso, em Lisboa", onde o candidato é o líder Tiago Matos Gomes. "O nosso logótipo será sempre bem visível, pois ainda não somos conhecidos no público em geral. Serão acompanhados de "QR codes" para os mais interessados saberem mais sobre nós", explicou ainda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG