Exclusivo

Ânimos inflamados ditam suspensão de Carta de Perigosidade

Ânimos inflamados ditam suspensão de Carta de Perigosidade

Em causa documento elaborado pelo ICNF que iria travar construção em grande parte das regiões Norte e Centro. Autarcas criticam o facto de não terem sido ouvidos e falam em desconhecimento do território.

A Carta de Perigosidade de Incêndio Rural, elaborada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e que entrou em vigor a 28 de março, veio inflamar os ânimos de autarcas do interior do país, pois grande parte dos municípios do Norte, do Centro e do Algarve ficariam impedidos de construir em áreas onde estavam previstas urbanizações e zonas industriais. Face à contestação, o Governo anunciou a sua suspensão até ao fim do ano (ler ficha).

"Ninguém percebe esta loucura", observa Orlando Alves, presidente da Câmara de Montalegre. "Um jovem que queira contrair matrimónio e constituir família deixa de poder construir uma casa", exemplifica, tendo em conta que o nível de perigosidade do território do concelho passou a ser "muito elevado". "Não é assim que se combatem os incêndios. É uma absoluta ignorância. Não se aceita que o ICNF esteja sediado em Lisboa e não tenha relacionamento com o mundo rural".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG