Exclusivo

Ano letivo arranca com milhares de professores de baixa

Ano letivo arranca com milhares de professores de baixa

Associação de Professores em Mobilidade por Doença apresenta providência cautelar para suspender colocações, por discordar das novas regras. Alunos afetados na aprendizagem.

Os cerca de três mil professores impedidos de se aproximarem de casa, ao abrigo da mobilidade por doença (MpD), já começaram a apresentar baixas médicas, asseguram as associações de diretores e os sindicatos de professores. A estes, juntam-se os cerca de dois mil que já se encontravam de atestado, pelo que muitos alunos iniciaram o ano letivo sem ter docentes a todas as disciplinas.

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, revela ao JN que, de acordo com o Ministério da Educação (ME), estão de baixa, desde o ano letivo passado, cerca de dois mil professores, devido a doenças crónicas de longa duração. "De MpD reconhecida pelo ministério são 7500, mas foi impedida a deslocação a cerca de três mil. Portanto, muitos desses, mais dia menos dia, entrarão de baixa, porque têm doenças incapacitantes".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG