Coronavírus

Antigo atleta do Benfica oferece-se para ajudar no repatriamento de portugueses

Antigo atleta do Benfica oferece-se para ajudar no repatriamento de portugueses

O antigo guarda-redes de futsal, Fernando Paiva, conhecido por "Nana", enviou um email ao Governo a disponibilizar o staff da sua agência de viagens para ajudar, gratuitamente, a encontrar soluções que permitam agilizar o regresso de portugueses ao país, por causa do Covid-19. Acredita que a experiência e rede de contactos podem ser uma importante mais valia.

Profissional de viagens há 30 anos, Fernando Paiva tem assistido de casa aos problemas com o regresso dos portugueses que se encontram em países estrangeiros e diz que não compreender porque os contactos são feitos apenas com a TAP, em vez de contactar as agências, que têm um leque de opções muito alargado.

"Nós, a trabalhar de casa, temos acesso a todas as companhias aéreas do Mundo e temos a experiência de organizar rotas e ligações", explica o antigo guarda-redes de futsal, que recorre a um exemplo recente para ilustrar a situação: "Soube através de uma amiga que havia uma portuguesa desesperada, há horas numa fila do aeroporto de Montevideu, no Uruguai, para tentar saber informações sobre a possibilidade de viajar para Portugal. Ela entrou em contacto comigo e minutos depois saiu da fila e foi com o cartão de embarque, que lhe mandei para o telemóvel, diretamente ao avião que devia apanhar", conta.

Noutro caso, recorda a "aflição" recente que viu em alguns portugueses que estão em São Tomé e Príncipe e dizem que não têm ligação assegurada para voltar a Portugal. "Vai haver um voo no dia 28 e tenho aqui à minha frente a informação que ainda não está fechado, por isso há lugares", destaca.

É este "know how" que "Nana" se disponibiliza para oferecer às autoridades portuguesas no processo de repatriamentos dos cidadãos nacionais. "Não faz sentido o Governo estar dependente só de algumas companhias aéreas", argumenta, repetindo que todo o staff da WTS Viagens, a sua agência está ao dispor para ajudar "sem cobrar um cêntimo".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG