Insólito

Antigo site do Governo promovia encontros amorosos

Antigo site do Governo promovia encontros amorosos

Um antigo site do Ministério dos Negócios Estrangeiros foi transformado numa plataforma de encontros amorosos. O Governo já foi alertado e, entretanto, o site foi desativado.

A página da internet em causa pertencia ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e servia para promover encontros com cidadãos para discutir a União Europeia. Foi criada em abril do ano passado e designava-se "Encontros com Cidadãos". Pretendia promover, até fevereiro passado, um conjunto de reuniões para apelar "à participação democrática dos cidadãos e contribuir, assim, "para um melhor conhecimento das preocupações e anseios da sociedade civil" em relação à União Europeia".

Quando terminada a sua finalidade, o site em causa foi vendido. "Durante o período em que decorreu, a iniciativa contou com um sítio digital através do qual se disponibilizou informação aos cidadãos e processou a inscrição dos cidadãos em eventos de capacidade limitada. Após a conclusão da iniciativa, o sítio digital dos Encontros com os Cidadãos foi encerrado, tendo a informação sobre a iniciativa, incluindo o relatório nacional da iniciativa, transitado para o portal do Centro de Informação Europeia Jacques Delors", explica o Governo.

Por isso, o "domínio associado com a iniciativa voltou a estar disponível para aquisição". Segundo explicou ainda o Governo, ao jornal "Público", que avançou com a notícia, o site acabou por ser adquirido "por uma empresa privada que se dedica à promoção de encontros sexuais". "Tendo nós identificado esta situação, promovemos a alteração dos links associados com esta iniciativa, para que os cidadãos não fossem redirecionados para uma página que já não nos pertence", acrescenta o Executivo.

Portanto, a morada é exatamente a mesma, só que agora promovem "encontros seguros", "sexuais" e de "poliamor, relações a mais que dois". Dá ainda diversos conselhos para "ter sucesso" em encontros marcados através da Internet e como lidar com "infidelidade conjugal".

Alertado para essa situação, o Governo procedeu "a uma exaustiva pesquisa online hyperlinks associados com os Encontros Cidadãos", tendo solicitado a todas as entidades que colaboraram na iniciativa "e que ainda não teriam atualizado os respetivos hyperlinks para os redirecionarem". O site está atualmente indisponível.

Outros Artigos Recomendados