Transportes

Antigos combatentes já podem pedir passe

Antigos combatentes já podem pedir passe

Os ex-combatentes e os viúvos podem solicitar, a partir de hoje, o passe gratuito. Basta deslocar-se à loja do operador de transporte da sua região e preencher o requerimento de adesão. Cada beneficiário só tem direito a um título de graça, mas a medida aplica-se em todo o país.

De acordo com o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, o requerimento de adesão terá de ser preenchido e entregue nos balcões dos operadores de transporte público. Além do cartão de antigo combatente ou do cartão de viúva, o beneficiário terá de apresentar o cartão de cidadão e um comprovativo da morada fiscal da sua residência habitual.

PUB

Embora seja gratuito, o ex-combatente terá de carregar ou ativar o passe todos os meses nas máquinas ou nas lojas onde se compram as assinaturas mensais. No entanto, nada pagará por isso, desde que não exceda o território definido.

Pagamento adicional

Existe um limite territorial para a oferta. Fora das áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa, o Governo oferece os títulos que permitem deslocações até 32 quilómetros. Caso necessite de uma assinatura mais abrangente, terá de pagar a diferença.

Nas áreas metropolitanas e noutras zonas urbanas, a regra é fornecer o passe municipal. Na rede Andante, no Grande Porto, os clientes com menos de 65 anos apenas podem optar pelo título municipal e não existe a opção pela assinatura Z3. Se preferir o metropolitano no Porto e em Lisboa, terá de pagar a diferença: 10 euros por mês.

Esse pagamento adicional só não se aplicará a quem tiver mais de 65 anos ou estiver reformado, porque, tanto no Porto como na capital, os passes metropolitanos para reformados têm desconto e custam 30 euros. No Grande Porto, aos antigos combatentes reformados, está a ser atribuída a assinatura metropolitana 3.ª idade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG