PS

António Costa reeleito secretário-geral com 94% dos votos

António Costa reeleito secretário-geral com 94% dos votos

António Costa foi reeleito no sábado secretário-geral do PS, com 94% dos votos, para um novo mandato de dois anos, de acordo com resultados provisórios divulgados este domingo pela Comissão Organizadora do Congresso (COC) do PS.

O dirigente socialista Daniel Adrião, que pela terceira vez se apresentou na disputa da liderança, obteve cerca de 6% dos votos nestas eleições diretas.

"Faltando ainda atribuir 161 delegados do total de 1087 delegados com direito a voto é inequívoca a reeleição de António Costa para secretário-geral do PS, nas eleições que decorreram digitalmente no dia 11 de junho e presencialmente nos dias 18 e 19 de junho", refere a nota da COC.

Segundo a Comissão Organizadora do Congresso, António Costa foi eleito com 94% dos votos, sendo que Daniel Adrião obteve 6% dos votos validamente expressos.

António Costa, 59 anos, é secretário-geral do Partido Socialista desde 22 de novembro de 2014 e primeiro-ministro desde 26 de novembro de 2015.

Costa foi pela primeira vez eleito secretário-geral do PS em novembro de 2014, depois de ter vencido com cerca de dois terços dos votos, em eleições primárias abertas a todos os simpatizantes, em setembro desse ano, o então líder socialista, António José Seguro.

Em 2016 e 2018, foi reeleito secretário-geral do PS em eleições diretas partidárias sempre com mais de 95% dos votos, tendo nesses dois atos eleitorais enfrentado a oposição do socialista Daniel Adrião. Ou seja, o resultado de hoje será o mais baixo que Costa obtém em eleições diretas.

PUB

No comunicado divulgado pela COC, não se refere o número de votantes nem a taxa de participação, que apenas serão divulgados no final do apuramento.

A COC informa ainda que na eleição para delegados ao XXIII Congresso Nacional do PS, que se realiza em 10 e 11 de julho, a moção de António Costa, "Recuperar Portugal, Garantir o Futuro", obteve 908 delegados, enquanto a moção de Daniel Adrião, "Democracia Plena", obteve 18 delegados.

"Já na eleição para a liderança das Mulheres Socialistas - Igualdade e Direitos foi reeleita Elza Pais com 91% dos votos, bem como a sua Comissão Política, num sufrágio com lista única", refere a mesma nota.

Segundo a COC, estes resultados "correspondem ao apuramento provisório de 91% das secções de voto não sendo já de todo possível serem alterados pelos votos das secções cujos resultados falta ainda apurar e que implicam a atribuição de 161 delegados ao 23.° Congresso Nacional do Partido Socialista".

Cerca de 62 mil socialistas podiam votar nas diretas para escolher o secretário-geral do PS, num ato eleitoral que decorreu de forma presencial entre sexta-feira e sábado e que tinha começado no passado dia 11 por via eletrónica.

Devido à pandemia, o congresso do PS, em 10 e 11 de julho, vai realizar-se em 13 locais distintos do país e em espaços que terão de assegurar o cumprimento das normas de distanciamento social impostas pela Direção Geral da Saúde (DGS).

Em reação aos resultados, Costa afirmou querer corresponder à confiança dos militantes nos próximos dois anos, apontando como meta para as autárquicas "de setembro" voltar a ter a maioria das freguesias e municípios.

Numa curta mensagem em vídeo divulgada na página e nas redes sociais do PS, António Costa começa por agradecer aos militantes a sua reeleição.

"Tudo farei para corresponder à vossa confiança e, durante os próximos dois anos, continuar a liderar o nosso partido tendo em vista os grandes desafios que temos pela frente", afirmou.

Primeiro, o líder do PS e primeiro-ministro apontou os desafios "em nome do país": "Continuar a combater a pandemia, recuperar a nossa economia e construir o futuro", referiu.

"Mas também liderar o partido naquela que é mais uma exigente batalha eleitoral que temos pela frente, já em setembro, com as eleições autárquicas", afirmou, referindo-se a um ato eleitoral que, por lei, se pode realizar entre 22 de setembro e 14 de outubro e que é marcado pelo Governo.

António Costa recorda que "o PS é, desde 2013, o maior partido autárquico nas freguesias e nos municípios".

"E a nossa ambição agora não é menor: voltar a ganhar e voltarmos a ter a maioria das freguesias e a maioria dos municípios para assim continuar a servir Portugal e os portugueses", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG