Pandemia

António Costa: "Sou otimista, mas não vejo a luz ao fundo do túnel"

António Costa: "Sou otimista, mas não vejo a luz ao fundo do túnel"

O primeiro-ministro esteve no programa "Você na TV!", da TVI, e confessou a Manuel Luís Goucha que ficará surpreendido se Marcelo Rebelo de Sousa não prolongar o Estado de Emergência.

António Costa mostrou-se cauteloso em relação ao combate à Covid-19, em entrevista, esta sexta-feira, a Manuel Luís Goucha, no programa "Você na TV!", na TVI.

"Sou otimista, mas não vejo a luz ao fundo do túnel. Temos de percorrer esse túnel e quando mais disciplinados fomos, mais depressa lá chegaremos", começou por referir António Costa, que admitiu que ainda "não" fez o teste ao novo coronavírus.

O primeiro-ministro referiu, em seguida, "que seguramente vai surgir uma nova onda, até ser descoberto o medicamento".

Numa emissão na qual participaram alguns telespetadores, que colocaram perguntas por vídeo, António Costa lembrou que "Portugal estava a crescer 40% ao dia e como as pessoas têm respeitado as medidas do Governo, houve uma desaceleração".

"Não sei se nos afastámos do pico, porque este fim de semana de Páscoa é muito crítico. Creio que estamos no planalto e ainda não descemos para o sopé", disse.

Quanto à reavaliação do Estado de Emergência, o governante foi claro. "Ficaria muito surpreendido se o senhor Presidente da República na próxima semana não propusesse o Estado de Emergência, ainda que com um abrandamento das medidas. Ainda não podemos começar a aliviar", frisou.

Finalmente, António Costa comentou o aperto de mão ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, num momento em que pede afastamento social. "Errar é humano e eu pedi imediatamente desculpa ao ministro".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG