Exclusivo

António Sarmento: "Sou um crente na vacina mas não é suficiente"

António Sarmento: "Sou um crente na vacina mas não é suficiente"

Um ano após ter sido o primeiro a ser vacinado, António Sarmento, diretor do Serviço de Doenças Infeciosas do Hospital de S. João, defende pacto de regime para reformulação do SNS.

António Sarmento foi o primeiro a ser vacinado contra a covid-19 em Portugal e, um ano depois, avisa que esta arma contra o vírus não é suficiente e não se pode facilitar nas medidas de proteção. Entre as lições a tirar da pandemia, o médico e diretor do Serviço de Doenças Infeciosas do Hospital de S. João, no Porto, defende uma reformulação do Serviço Nacional de Saúde (SNS), com um pacto de regime e uma equipa própria, em vez de "alterações de cosmética". Quer investimento na saúde pública, resposta assistencial e apoio domiciliário.

Quando António Sarmento já tomou a terceira dose, os últimos dados mostram que há quase 8,7 milhões de portugueses com a vacinação primária completa e quase 2,6 milhões com a dose de reforço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG