violência de género

APAV regista 63 crimes de violência por dia

APAV regista 63 crimes de violência por dia

As denúncias estão a aumentar. A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) registou uma média de 63 crimes por dia em 2015. No total, foram denunciados 23.326 casos, mais 13% do que em 2013.

O número de vítimas também cresceu, passando de 8733 em 2013 para 9612 no ano passado. Em média, por dia, a APAV apoiou vinte pessoas: 14 mulheres, entre os 18 e 64 anos, três crianças e jovens e três idosos com mais de 65 anos. Todas vítimas de crimes ou outras formas de violência.

João Lázaro, presidente da APAV, considera que os números esta terça-feira revelados no relatório anual apontam não só um aumento da criminalidade como maior sensibilização das pessoas para pedirem ajuda. Uma tendência, sublinhou, que contraria "o silêncio" que marcou os anos de crise, desde 2011.

De acordo com o relatório estatístico, 80% dos crimes (18.670) são de violência doméstica. Sendo a maioria (58,4%) cometidos pelos companheiros, ex-companheiros, namorados ou ex-namorados. Aliás, outro dado do estudo é que também estão a subir as denúncias de agressões cometidas por filhos: 687 em 2013, 706 em 2014 e 819 em 2015. E se a observação for alargada a outros graus de parentesco (avós, netos, irmãs/irmãos, por exemplo), a APAV contabilizou 2300 casos. No total, relativamente a idosos foram apoiadas 977 vítimas, mais de duas por dia, quase 20 por semana.

As denúncias de "stalking" (445) subiram mais de 30% em relação a 2014 e as de bullying (134) 46%. Já os crimes de violação desceram 38% (de 139 para 86), enquanto os de abuso sexual de menores apenas registaram uma ligeira redução de 106 para 102. A maioria das vítimas neste último caso são meninas com uma média de idade de 9,9 anos, sendo que quase um quarto (23,8%) ainda frequenta o pré-escolar e 23,6% o 1.º ciclo.