Pandemia

Apoio francês a Portugal decorre da natural "solidariedade europeia"

Apoio francês a Portugal decorre da natural "solidariedade europeia"

A Embaixada de França em Portugal afirmou esta sexta-feira que a equipa médica francesa que vai prestar apoio ao Hospital Garcia de Orta (Almada) insere-se na "solidariedade europeia", recordando que aquele país também recebeu apoio no início da pandemia.

"A ajuda da França, que mantém com Portugal relações estreitas e de amizade, inscreve-se no âmbito desta solidariedade europeia natural, face a um vírus que só será eficazmente derrotado por meio da cooperação e da unidade internacional", afirmou a embaixada em comunicado.

Segundo a mesma fonte, Portugal "aceitou a proposta de colaboração do governo francês para apoiar a sua resposta à pandemia", tendo sido decidido de comum acordo o envio de uma equipa de quatro profissionais de saúde.

A embaixada especificou que esta equipa é composta por uma médica especializada em cuidados intensivos, duas enfermeiras anestesistas e uma enfermeira lusófona, que se juntarão à unidade de cuidados intensivos do Hospital Garcia da Orta, a partir de segunda-feira por um período inicial de 15 dias.

"A França também foi objeto de iniciativas de solidariedade durante a primeira vaga do vírus na primavera passada, tendo recebido ajuda de vários vizinhos europeus que aceitaram receber doentes franceses", adiantou o comunicado, que garante que a França se "mantém atenta às possíveis necessidades" de Portugal.

A embaixada saudou também a "mobilização de antigos médicos e enfermeiros franceses que vivem em Portugal e que se juntaram às equipas de voluntários da Cruz Vermelha Portuguesa" para contribuir no combate contra a pandemia.

PUB

Além desta equipa francesa, Portugal vai receber na próxima semana uma equipa médica do Luxemburgo, um "importante apoio" no tratamento de doentes de covid-19 em hospitais com elevada pressão de cuidados intensivos, anunciou quinta-feira o Ministério da Saúde.

A equipa do Luxemburgo, constituída por dois médicos e dois enfermeiros, vai apoiar o serviço de medicina intensiva do Hospital do Espírito Santo de Évora.

Além destas duas equipas, já está em Portugal uma equipa médica militar alemã que começou a tratar os primeiros pacientes na segunda-feira e que vai permanecer no país por mais seis semanas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG