Novo aeroporto

Autarca do Seixal desafia Costa a rever acordo com a ANA

Autarca do Seixal desafia Costa a rever acordo com a ANA

O presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, reuniu-se esta quarta-feira com o primeiro-ministro e o ministro das Infraestruturas para discutir a construção do aeroporto do Montijo. O autarca mantém a preferência por Alcochete e diz que a obra só será no Montijo porque há um "accionista privado [Vinci] que quer impor a sua vontade".

À saída da reunião de São Bento, Joaquim Santos mostrou-se convicto de que, "se não houvesse um contrato que obrigasse o Estado a esta decisão da ANA, essa [solução Alcochete] seria a decisão do Governo". Uma escolha que, garante, é "partilhada pelos municípios, pela Ordem dos Engenheiros, pela Ordem dos Biólogos e pelo conjunto de profissionais do setor".

No entanto, revelou que António Costa foi "muito claro" ao dizer que a opção Montijo é "aquela que é possível concretizar", uma vez que há "questões contratuais que obrigam o Estado a fazer no Montijo".

Afirmando desconhecer essas questões, o autarca esclareceu que acredita na "boa-fé" do primeiro-ministro; no entanto, defendeu que, "se os contratos não são positivos para as populações, podem sempre ser alterados e renegociados". "Não ouvimos nada que nos fizesse ver que a opção Montijo é melhor do que a opção Alcochete", resumiu.

Montijo não é mais barato, garante autarca

Joaquim Santos lembrou também que a declaração de impacto ambiental para a construção do aeroporto em Alcochete foi renovada e que está em vigor até dezembro deste ano. Portanto, "do ponto de vista legal", se o Governo quiser "fazer em Alcochete exatamente a mesma infraestrutura que quer fazer no Montijo, pode fazê-lo". Também desmentiu que a opção Montijo seja mais barata, uma vez que fazer uma pista "num aterro que tem de ser feito dentro do Rio Tejo" encarece a obra.

PUB

Embora a distância de Alcochete face a Lisboa seja maior, a diferença "não é expressiva", defendeu o presidente da Câmara do Seixal. Além disso, ao contrário do aeroporto do Montijo - que não terá "capacidade de expansão" -, Alcochete poderia "transformar-se no futuro aeroporto de Lisboa quando se decidir desativar o aeroporto Humberto Delgado".

Moita também está contra

Rui Garcia, presidente da Câmara da Moita e também opositor da solução Montijo, esteve igualmente reunido com António Costa e Pedro Nuno Santos. "A conclusão da reunião de hoje [quarta-feira] foi continuarmos a conversar, mas saímos com as mesmas posições que tínhamos antes", referiu, à saída de São Bento.

"Nunca nos recusámos ao diálogo. Vamos continuar a conversar e ficou agendada uma nova reunião", revelou. Nessa ocasião, irá continuar a sensibilizar o Governo para os "impactos fortemente negativos" do aeroporto do Montijo "sobre o território do concelho da Moita, mais do que sobre outros".

António Costa reuniu esta quarta-feira com seis dos municípios da zona de Lisboa. Seixal e Moita encabeçam a lista de seis autarquias, todas da CDU, que se opõem à construção do aeroporto do Montijo e que têm poder legal para travar a obra. Recentemente, o Governo revelou vontade de mudar essa lei, mas nem a Esquerda nem o PSD se mostraram de acordo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG