Educação

Avaliação escolar terá "medidas excecionais"

Avaliação escolar terá "medidas excecionais"

O Ministério da Educação está a ultimar um conjunto de "medidas excecionais relativas à avaliação nas escolas" devido ao impacto da pandemia no presente ano letivo. O ministro Tiago Brandão Rodrigues garante que o processo legislativo está na fase final e as medidas serão conhecidas "muito em breve, esta semana ou na próxima".

O Governo promove a auscultação das regiões autónomas e dos parceiros do setor da Educação e, findo esse processo, o pacote de medidas será submetido à aprovação do Conselho de Ministros, o que poderá suceder esta semana. "Este decreto-lei ajustará novamente a avaliação escolar, uma vez que, este ano, continuamos a ter consequências da pandemia. Os nossos alunos saberão e só aí faz sentido anunciarmos quais são as medidas", disse, ainda, à Agência Lusa.

Pandemia perturbou

Em cima da mesa, está o regresso dos exames do 9.º ano, mas os resultados não contarão para a nota final. Ou seja, será uma espécie de prova de aferição.

Quanto às aferições para o 2.º, 5.º e 8.º anos, o JN apurou que se encontra em equação a aplicação das provas a todos os alunos, em vez de realizá-las por amostragem, como sucedeu nos últimos dois anos.

Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, discorda da generalização das provas de aferição, considerando que as aprendizagens ao longo deste ano letivo continuaram a ser condicionadas pela pandemia, com um vaivém constante de alunos e de professores.

As provas de aferição devem manter o modelo dos últimos dois anos", concretiza, sendo, no entanto, favorável à realização dos exames do 9.º ano, desde que não contem para a nota final dos alunos.

PUB

Essa é, também, a posição de Manuel António Pereira. O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes Escolares sublinha que a realização dos exames do 9.º ano como se de uma prova de aferição se tratasse vai ao encontro da proposta que fez ao Governo. "O nosso entendimento é de que as provas de aferição são importantes para os alunos".

O Governo decidirá, ainda, nos próximos dias as regras de acesso ao Superior e, como avançou o JN, o parecer da Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior recomenda que os alunos realizem apenas exames nacionais às disciplinas exigidas como provas de ingresso no Superior.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG