Apelo

Aveiro já tem "kits" para testes mas Gondomar e Alto Minho não

Aveiro já tem "kits" para testes mas Gondomar e Alto Minho não

Direção-Geral da Saúde respondeu ao repto do autarca aveirense e anunciou novas orientações para os lares.

O "grito de alerta" feito por Ribau Esteves, presidente da Câmara de Aveiro, anteontem, deu resultado. Ontem, dois mil "kits" para testes de despistagem à Covid-19 chegaram ao Centro Hospitalar do Baixo Vouga.

Num concelho onde só numa instituição já morreram 15 utentes, começaram ontem a ser testados idosos e funcionários de outros lares onde havia pessoas infetadas com o novo coronavírus, mas cujos testes tinham sido desmarcados por falta de material.

No entanto, há outras regiões e municípios a "gritar" pela urgência de despistagem. É o caso do Alto Minho e de Gondomar, onde os autarcas exigem que lhes seja feito chegar material, nomeadamente zaragatoas e reagentes.

"O tal camião, prometido há quase 15 dias, chegou. Os 2000 "kits" foram entregues e num dos lares de Santa Joana que mais nos preocupava já foram feitos testes a toda a gente. No outro, serão feitos amanhã [hoje]", revelou, ao JN, Ribau Esteves. Ontem, António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde, revelou que a Região Centro ia receber 10 mil testes.

Testes obrigatórios

Na conferência de imprensa de acompanhamento diário da pandemia, Diogo Cruz, subdiretor-geral da Saúde, também fez saber que a DGS emitiu novas orientações para a resposta dos lares de idosos à Covid-19 (ler caixa), entre as quais a obrigação de testar todos os utentes e profissionais onde tenha sido registado, pelo menos, um caso positivo.

No entanto, ainda há instituições com casos positivos que parecem carecer de testes para utentes e funcionários. "Não há testes disponíveis para idosos. O SNS não dá resposta. Temos 1700 idosos institucionalizados em lares, no Alto Minho. São necessários dois mil testes.

É necessária urgência, para podermos fazer despistagem nas nossas instituições, onde há um crescimento de casos confirmados nos lares dos 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo", apelou José Maria Costa, presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho.

Em Gondomar, o apelo é semelhante. Marco Martins, presidente da Câmara, exigiu ontem, também, que o Norte receba testes. "O Norte e Gondomar precisam muito. Temos cinco vezes mais casos do que o Centro", afirmou o autarca, que fala em "números dramáticos" na sua região.

Os lares de Gondomar, adiantou, têm "mais de 30 utentes e funcionários" que testaram positivo para Covid-19, num concelho que já conta com 528 infetados. "Queremos testar lares, bombeiros e forças de segurança, mas não há material. Preocupa-nos muito que os números possam aumentar. É urgente fazer testes", sublinhou Marco Martins.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG