Pandemia

Avião que trouxe material médico para Portugal "transformado" em cargueiro

Avião que trouxe material médico para Portugal "transformado" em cargueiro

O Airbus A340 da Hi Fly que chegou esta sexta-feira da China com material médico para combater a pandemia de Covid-19, está no Terminal Civil Aeronáutico de Beja (TCBeja) a ser alvo de uma "transformação" para cargueiro. A aeronave deveria ter transportado 35 toneladas de material.

Visando aumentar a sua capacidade de carga, para novas deslocações a Xangai, técnicos da Mesa, empresa do grupo da companhia aérea portuguesa, estão a retirar os bancos da aeronave comercial que tem capacidade para transportar 240 passageiros.

Junto de fonte da Hi Fly, o JN apurou que o avião vai sair este domingo às 20 horas do TCBeja, tendo como destino o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Depois parte na segunda-feira com destino à China, também para Xangai, a fim de transportar material médico para França, numa operação contratada pelo governo de Emanuel Macron.

O aparelho, que tem o símbolo da Estelar por ter sido alugado àquela companhia venezuelana, vai voltar a Xangai na próxima quinta-feira, dia 2 de abril, para transportar para Portugal os reagentes para testes e os ventiladores que não puderam ser transportados esta sexta-feira. A situação deveu-se a questões relacionadas com autorizações das autoridades chinesas e logísticas do material.

Recorde-se que a aeronave aterrou esta sexta-feira, cerca das 20.10 horas, em Lisboa com 24 toneladas das 35 previstas com material médico, nomeadamente luvas, máscaras e fatos de proteção.

O voo foi fretado pela Mirpuri Foundation (MP), fundação ligada à família proprietária da Hi Fly, contou ainda com o apoio de diversas entidades públicas e privadas, tendo a MF feito um donativo adicional de 100 mil euros para a viabilização da operação.