Parlamento

BE acusa PSD de pirueta no debate da queda da TSU

BE acusa PSD de pirueta no debate da queda da TSU

O Bloco de Esquerda defendeu, esta quarta-feira, que a diminuição da TSU dos patrões se trata de um "decreto injusto e errado", acusando o PSD de "pirueta" ao juntar-se à esquerda contra a medida.

No arranque da apreciação parlamentar da redução de 1,25 pontos percentuais da Taxa Social Única (TSU), pedida por bloquistas e comunistas, o deputado do BE José Soeiro disse que "este não é um debate sobre o BE, sobre o PCP, sobre Os Verdes, sobre as posições conjuntas que assinaram com o PS ou sobre as angustias deste ou daquele comentador".

"A descida da TSU patronal não faz parte de nenhum compromisso estabelecido entre estes partidos", defendeu, lembrando que a Esquerda acordou uma "política de recuperação de rendimentos capaz de parar o empobrecimento que era a estratégia do PS e do CDS para o país".

"A única novidades foi mesmo a pirueta do PSD", frisou, neste debate onde a TSU dos patrões pode cair dentro de duas horas e meia.

José Soeiro referiu que "nem todos neste Parlamento, concordaram com este aumento".

"Seria errado e insensato fazer acompanhar a subida do salário mínimo de uma redução da TSU das entidades empregadoras que optam por politicas de baixos salários", argumentou, referindo que "não é aceitável desresponsabilizar as empresas e pôr os contribuintes, por via do Orçamento do Estado, ou os trabalhadores, por via das Segurança Social, a pagar o aumento do salário mínimo, que é um dever de quem contrata".

"Enquanto política de apoio à economia, este decreto é errado, porque é um incentivo aos baixos salários e um beneficio dado a todas as empresas", explicou. E defendeu que "o problema das pequenas e medidas empresas não são os salários, que em media representam 20% dos seus custos de produção, contra cerca do dobro que é o peso dos custos na energia e nas comunicações".

PUB

"No ano em que o Salário Mínimo subiu 5% pela primeira vez: menos 68 mil desempregados e mais de 92 mil postos de trabalho do que no ano anterior. Aumentar o salário mínimo não prejudica a produtividade, nem as exportações que subiram 6,6% no ano passado", disse, acusando os social-democratas de estarem contra esse aumento: "Quando o PSD defende essa posição, fala em nome de quem?".

Outras Notícias