OE2021

BE diz que Governo mantém intransigência no Novo Banco e lei laboral

BE diz que Governo mantém intransigência no Novo Banco e lei laboral

O Bloco de Esquerda (BE) adiantou esta quarta-feira que, nas negociações orçamentais, o Governo recusou qualquer abertura para as propostas bloquistas sobre o Novo Banco e lei laboral, mas apresentou sugestões sobre SNS e prestação social, que estão a ser analisadas pelo partido.

O BE reuniu-se a noite passada com o Governo para continuar discutir o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), tendo o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, afirmado que os bloquistas mantêm "a disponibilidade para chegar a um acordo", desde que tenha "um significado político de materializar um orçamento que responde nos mínimos" daquelas que são as necessidades do país.

"Nestas quatro áreas [prioritárias para o BE], o Governo considerou não haver possibilidade de aproximação e por isso não apresentar qualquer proposta nem dar abertura para quaisquer posições intermédias em matéria do sistema financeiro, Novo Banco em particular, e em matéria das questões laborais", revelou.

Apesar de se ter "mostrado intransigente" nestes dois temas, segundo Pedro Filipe Soares, o executivo socialista fez propostas ao BE em relação ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) e à nova prestação social.

"Nós estamos a analisar essas propostas, quer as propostas em si, quer o que elas significam no contexto do Orçamento do Estado e nas próximas horas, próximos dias daremos nota pública do resultado dessa análise", revelou.

PUB

Segundo o líder parlamentar do BE, "não há atualmente nenhumas reuniões marcadas" entre os bloquistas e o Governo, o que "não significa que elas não possam existir, significa apenas que elas não estão marcadas".

"Pelo menos [as negociações] não ficaram fechadas e desse ponto de vista fica tudo mais ou menos como estava antes. O Governo não disse na reunião que fechava as reuniões connosco porque manteve a possibilidade de reunião em aberto", adiantou.

Assim, o BE vai agora analisar e dará nota da sua "análise quer publicamente quer ao Governo", aguardando depois para ver "os passos que se desenrolarão depois dessa tomada de posição pública".

"Antes da Mesa Nacional contamos ter uma opinião sobre aquilo que foi apresentado", assegurou.

A Mesa Nacional do BE reúne-se no domingo para decidir o sentido de voto do BE na generalidade do OE2021.

Fonte do executivo adiantou à agência Lusa que nesta reunião o Governo propôs aos bloquistas um alargamento do acesso à nova prestação social e um calendário para a contratação de mais 4.200 profissionais de saúde.

Estas duas propostas foram apresentadas pelo Governo ao BE numa reunião que terminou hoje de madrugada, por volta das 02:30, e que se destinou a procurar um acordo para a viabilização da proposta de Orçamento do Estado para 2021, cuja votação na generalidade está marcada para o próximo dia 28, na Assembleia da República.

"Na reunião de trabalho com o Bloco de Esquerda, o Governo avançou com a proposta para garantir que quem perder o subsídio de desemprego tem acesso à nova prestação social independentemente da condição de recursos. O Governo apresentou também um calendário de contratação de mais 4200 profissionais de saúde", disse à agência Lusa fonte do executivo socialista.

Outras Notícias