Parlamento

BE, PSD e CDS atacam Governo por falhar debate pedido pelo PS

BE, PSD e CDS atacam Governo por falhar debate pedido pelo PS

O Bloco de Esquerda e o PSD lamentaram esta quinta-feira, no Parlamento, a ausência do Governo no debate temático requerido pelo PS sobre transição digital. O socialista Ferro Rodrigues respondeu que esperava que estivesse presente, mas recordou que o Executivo não tem essa obrigação. O CDS juntou-se depois às críticas, contestando desde logo as prioridades do PS na escolha do tema.

Pedro Filipe Soares, líder da bancada bloquista, começou por questionar a mesa sobre a falta de informação sobre se o Governo iria comparecer ao debate, que arrancou às 15 horas. Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, respondeu que o Executivo tem "a faculdade" de participar mas "não a obrigação", mas admitiu que estava "convicto" de que "viria", por "a iniciativa do debate ser do partido do Governo".

Ferro Rodrigues insistiu, porém, que o Governo "vem quando quer e não tem que dar justificação".

O bloquista Pedro Filipe Soares destacou ainda que esta sexta-feira irá apresentar o seu protesto se o Governo socialista também não comparecer ao debate requerido pelo grupo parlamentar do BE sobre o Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública. E sublinhou que "uma mudança de postura do Governo perante a Assembleia não é um menor incidente", recordando que o mesmo não aconteceu na anterior legislatura.

Pelo PSD, também o deputado Hugo Carvalho lamentou que o Executivo não tenha vindo a debate sobre a transição digital. É "um Governo virtual" e "offline", contestou.

"Esperava-se de um Governo que elege o digital como prioridade que nesta tarde, num debate que se faz na Assembleia da República sobre o digital, não estivesse 'offline', e que não fosse um Governo virtual", afirmou o social-democrata.

O socialista Porfírio Silva optou por não responder às críticas feitas ao Governo, pedindo aos deputados para se centrarem no debate desta quinta-feira.

O deputado João Almeida, do CDS, juntou-se depois às críticas e também aproveitou para atacar aquela opção do Executivo. Contestou desde logo a escolha da transição digital para o debate desta quinta-feira e as prioridades do PS quando nos debatemos, por exemplo, com as falhas do Serviço Nacional da Saúde. Mas lamentou sobretudo que "o Governo nem se digne sequer a estar presente" num debate proposto pelo PS.

"É extraordinária a escolha deste tema da transição digital, quando há protestos nas forças de segurança, carências gritantes na saúde e falta de professores", criticou o centrista.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG