Valongo

BE exige explicações no caso "Trofa Saúde Alfena"

BE exige explicações no caso "Trofa Saúde Alfena"

O Bloco de Esquerda (BE) quer que o Ministério da Saúde abra um inquérito no caso "Trofa Saúde Alfena". O bloco lembra que a omissão de auxílio é "crime" e diz que, ainda que tratando-se de um hospital privado, a tutela pode e deve atuar.

Em causa está o caso de Fernanda Campelo, que o JN noticiou na sexta-feira. A mulher caiu nas escadas rolantes do hospital Trofa Saúde Alfena, em Valongo, e garante que lhe foi recusado o socorro por não ter 600 euros para pagar.

"Toda esta situação é indigna e inaceitável. Qualquer unidade de saúde tem uma responsabilidade acrescida perante a sociedade, sendo inaceitável que uma unidade de saúde coloque o dinheiro à frente do auxílio e o negócio à frente da saúde. A situação pode, inclusivamente, configurar uma omissão de auxílio, situação que, como se sabe, é considerada crime", afirma o requerimento, dirigido à ministra da Saúde e assinado pelo deputado Moisés Ferreira, que deu entrada na sexta-feira na Assembleia da República.

O BE diz que, face à denúncia, o ministério de Marta Temido "deve acionar os mecanismos necessários de forma a proceder à abertura de um inquérito e inspeção" e lembra que a tutela é responsável, não só pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), mas por todos os assuntos relacionados com saúde no país".

Quer ainda saber se Marta Temido tem conhecimento da situação, se considera aceitável "este tipo de comportamentos" e se vai abrir um inquérito "e retirar daí as consequências necessárias".

Conforme o JN noticiou, Fernanda Campelo levou 15 pontos no nariz e na testa e partiu um pulso. Acabou socorrida e transportada pelos Bombeiros de Ermesinde ao Hospital de S. João, no Porto, onde foi suturada, fez um RX e uma TAC. A mulher, que tinha ido ao hospital privado acompanhar a sogra a fazer análises e exames, já apresentou queixa na GNR e junto da Entidade Reguladora da Saúde.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG