Crise

BE recomenda ao Governo prolongamento do fornecimento das refeições escolares

BE recomenda ao Governo prolongamento do fornecimento das refeições escolares

O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda recomendou ao Governo o prolongamento do fornecimento de refeições escolares aos alunos que beneficiam da ação social escolar durante o período da interrupção letiva do verão.

De acordo com um projeto de resolução, que não tem força de lei, a bancada parlamentar bloquista considerou que "a ação social escolar e os refeitórios escolares foram um dos instrumentos das políticas públicas que foram acionados" no contexto "de crise social e sanitária" decorrente da pandemia de covid-19.

"Cerca de 700 cantinas escolares ficaram abertas não só para fornecer refeições aos filhos e dependentes dos trabalhadores de serviços essenciais, como também aos alunos e às alunas com menos recursos económicos", prossegue o documento.

Por isso, o BE recomenda ao Governo de António Costa que se "mantenha, durante a interrupção letiva do verão, o fornecimento de refeições escolares aos alunos e alunas beneficiários da ação social escolar".

O partido considera que "o prolongamento da crise social que afeta os seus agregados familiares aconselha a que as cantinas continuem a funcionar após o final do presente ano letivo".

Este apoio é "imprescindível para que milhares de crianças e jovens possam", depois das férias de verão, regressar às aulas sem "terem passado por maiores carências económicas e alimentares".

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 535 mil mortos e infetou mais de 11,52 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG