Premium

Bebé sem rosto: expulsão de médico decidida até final do mês

Bebé sem rosto: expulsão de médico decidida até final do mês

Ministério Público de Setúbal estava a inquirir médicos e enfermeiros para clarificar documentos e procedimentos quando a pandemia paralisou processo.

As cópias das ecografias do bebé sem rosto que o Ministério Público recolheu são impercetíveis para pedir um parecer ao Instituto de Medicina Legal com o fim de perceber se Artur de Carvalho violou ou não os seus deveres profissionais.

Por isso, o Ministério Público (MP) de Setúbal decidiu inquirir médicos e enfermeiros, testemunhas no processo, para clarificar o conteúdo dos documentos antes de os encaminhar. Esta fase do processo decorria antes da declaração do estado de emergência, que levou à desmarcação das diligências presenciais.