Saúde

Bial assina acordo para comercializar medicamento para o Parkinson na Europa

Bial assina acordo para comercializar medicamento para o Parkinson na Europa

A Bial assinou um acordo de licenciamento exclusivo com a farmacêutica norte-americana Sunovion para a comercialização do medicamento para a doença de Parkinson na União Europeia, Espaço Económico Europeu e no Reino Unido.

Em comunicado, a BIAL revela, esta quinta-feira, ter "fechado acordo" com a farmacêutica norte-americana Sunovion, uma empresa subsidiária da Sumitomo Dainippon Pharma, para a comercialização do "filme sublingual de apomorfina" na Europa.

A apomorfina sublingual é uma "nova formulação" da apomorfina em filme que se dissolve debaixo da língua para o tratamento agudo e intermitente dos períodos 'OFF' [estado de profunda imobilidade dos doentes] da doença de Parkinson.

O filme sublingual de apomorfina está aprovado com a marca Kynmobi, nos EUA e no Canadá, sendo, atualmente, a "primeira e única terapia sublingual para o tratamento de episódios OFF da doença de Parkinson" nesses países.

O medicamento está atualmente em fase 3 de desenvolvimento clínico na Europa, sendo que, no acordo assinado, a BIAL será responsável pelo processo de aprovação e submissão regulamentar, bem como pelas interações com a Agência Europeia de Medicamentos. Até ao final deste ano, a farmacêutica portuguesa prevê apresentar um pedido europeu de autorização de introdução no mercado para o filme sublingual de apomorfina, revela o comunicado.

Já a Sunovion receberá, como parte do acordo, um pagamento inicial pela concessão da licença, "decorrendo futuros pagamentos na sequência do processo de aprovação e comercialização deste medicamento". "A Sunovion fornecerá a apomorfina sublingual à BIAL em todas as dosagens existentes", afirma a nota, acrescentando que a empresa norte-americana continuará a deter os direitos comerciais exclusivos de Kynmobi na América do Norte e noutras regiões do mundo, à exceção da União Europeia, Espaço Económico Europeu e no Reino Unido.

PUB

Citado no comunicado, António Portela, CEO da farmacêutica portuguesa diz estar "muito satisfeito" com o acordo e por a BIAL ser "o parceiro de eleição" da norte-americana na Europa. "A BIAL tem um compromisso contínuo com os doentes de Parkinson. Esta parceria reflete esse compromisso com a comunidade de Parkinson e é também um passo importante na nossa estratégia de desenvolvimento e de expansão na Europa", salienta.

António Portela diz ainda estar ansioso por poder disponibilizar a opção de tratamento e ajudar os doentes a lidar com "sintomas tão difíceis e incapacitantes como são os episódios OFF nas suas vidas".

Também no documento, Antony Loebel, presidente e CEO da Sunovion, salienta que o medicamento "oferece aos profissionais de saúde e aos pacientes uma nova opção de tratamento para tratar episódios OFF". "Esperamos trabalhar com a BIAL para ajudar a expandir o acesso a esta importante opção de tratamento para as pessoas com doença de Parkinson em toda a Europa", acrescenta.

A doença de Parkinson é uma patologia neurodegenerativa, crónica e progressiva, sendo a segunda doença neurodegenerativa mais comum. Estima-se que até 2030, 10 milhões de pessoas em todo o mundo viverão com Parkinson.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG