Conferência Episcopal

Bispos aprovam criação de comissão nacional para investigar abusos sexuais

Bispos aprovam criação de comissão nacional para investigar abusos sexuais

Os bispos portugueses aprovaram "por unanimidade" a constituição de uma comissão nacional para investigar abusos sexuais na Igreja.

A decisão foi tomada na Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que terminou esta quinta-feira em Fátima.

Segundo D. José Ornelas, presidente da CEP, durante o encontro foram já discutidos nomes de personalidades a indicar para a comissão, abrangendo várias áreas, como juízes, psicólogos ou psiquiatras, "cristãos e não cristãos".

"Não vai ser ser a CEP a controlar esta comissão. Queremos que tenha credibilidade e independência para investigar", garantiu o líder da CEP, assegurando que o grupo de trabalho terá acesso aos arquivos históricos das dioceses "se essa for a sua decisão".

Questionado sobre qual o horizonte temporal a que esta investigação pode recuar, o também bispo de Setúbal garantiu que "não haverá nenhum limite temporal à investigação", deixando ao critério da comissão a metodologia a seguir.

"A Assembleia decidiu criar uma comissão nacional para reforçar e alargar o atendimento dos casos e o respetivo acompanhamento a nível civil e canónico e fazer o estudo em ordem ao apuramento histórico desta grave questão", lê-se no comunicado final divulgado aos jornalistas.

PUB

Interrogado sobre se a Igreja foi sensível à carta aberta tornada pública por mais de 200 católicos defendendo uma investigação independente aos abusos sexuais na Igreja, o presidente da CEP respondeu que "a carta vai ao encontro das preocupações da Igreja". "Só diz do interesse do assunto não só para os bispos, mas também para outros setores da Igreja e da sociedade em esclarecer esta questão", respondeu D. José Ornelas.

Recorde-se que atualmente estão criadas 21 comissões diocesanas para recolher, tratar e encaminhar eventuais denúncias de abusos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG