Covid-19

Bloco de Esquerda disponível para aprovar orçamento retificativo

Bloco de Esquerda disponível para aprovar orçamento retificativo

O BE mostrou-se esta quarta-feira "inteiramente disponível" para aprovar um orçamento retificativo devido ao novo coronavírus, defendendo que todas as medidas de apoio excecionais "devem ter como contrapartida a proibição dos despedimentos".

Em declarações aos jornalistas no parlamento a propósito das medidas anunciadas esta quarta-feira pelos ministros das Finanças e da Economia para fazer face à pandemia do novo coronavírus, a deputada do BE Mariana Mortágua garantiu que o partido "está inteiramente disponível para aprovar um orçamento retificativo, o orçamento que for necessário fazer para poder proteger o país nesta situação de emergência".

"Todas as medidas que estão a ser implementadas de forma excecional para ajudar a produção e para ajudar as empresas devem ter como contrapartida a proibição dos despedimentos", propôs.

Na perspetiva de Mariana Mortágua, "haver ou não haver despedimentos é aquilo que vai dizer se a crise amanhã é maior ou menor".

"O importante a registar é este alerta porque as medidas que tomarmos hoje de proteção da economia, de produção e do emprego são aquelas que nos vão dizer se a crise é mais ou menos grave", avisou, insistindo que "proibir despedimentos é uma das principais razões para apoiar as empresas".

"É o emprego que vai permitir recuperar as contras públicas no futuro, que vai permitir ter crescimento económico no futuro", defendeu.

O BE regista como "positivas as medidas que hoje foram anunciadas" pelo Governo, mas entende que "elas são insuficientes face ao que foram anunciadas noutros países".

Assim, segundo Mariana Mortágua, são precisas mais medidas com "alargar as linhas de financiamento", disponibilizar "subsídios que apoiem a produção nacional e que garantam que Portugal mantém o seu sistema produtivo", reforçar os serviços públicos e proteger empresas estratégicas.