Covid-19

Bloco pede requisição de hospitais privados que fecharam

Bloco pede requisição de hospitais privados que fecharam

Trofa Saúde encerrou hospital em Famalicão, exigindo aos trabalhadores que escolhessem tirar férias ou perder 25% do salário.

O Bloco de Esquerda (BE) vai pedir ao Governo que faça a requisição "imediata" de instalações, equipamentos e profissionais do hospital Trofa Saúde em Famalicão, encerrado há duas semanas, em plena pandemia de Covid-19. Além disso, o partido considera que, "quando tudo passar, é altura de retirar licenças a quem não cumpriu com aquela que devia ser a sua missão".

"Tivemos conhecimento, através da plataforma despedimentos.pt, que a Administração do Grupo Trofa Saúde comunicou aos trabalhadores, em meados do mês passado, que iria encerrar devido à quebra na procura", denunciou Moisés Ferreira. Além de questionar "a vertente laboral, uma vez que foi imposta aos trabalhadores uma de duas vias, ou o uso de dias de férias ou a perda de 25% do salário", o deputado do BE interroga "quanto ao nível de responsabilidade da empresa face à epidemia".

O BE já tinha denunciado atropelos laborais noutra unidade do Grupo Trofa Saúde, no Hospital Privado de Gaia, onde foi imposto o gozo de férias aos funcionários em teletrabalho. "Achamos que o Governo deve abrir uma investigação à Administração da Trofa Saúde e intervir sobre o próprio licenciamento da atividade", considerou o deputado que encabeça os signatários da pergunta que será enviada ao Ministério da Saúde na próxima semana.

O JN pediu esclarecimentos ao Grupo Trofa Saúde, sem sucesso, até ao momento.

Moisés Ferreira recordou que outras empresas do setor privado da saúde, como "o SAMS também aproveitou esta fase para encerrar o hospital e as clínicas e deixar sem assistência mais de 90 mil beneficiários, contribuindo para agravar a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde"

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG