O Jogo ao Vivo

Nacional

Bloco vai avançar com moção de censura

Bloco vai avançar com moção de censura

Francisco Louçã anunciou, no debate quinzenal, que o Bloco de Esquerda irá apresentar uma moção de censura daqui a um mês. "No primeiro dia útil", quando Cavaco Silva tomar posse, ou seja, a 10 de Março. Sócrates reagiu dizendo que foi "um dos números políticos mais lamentáveis" que viu na vida.

Inicialmente, Louça desafiou José Sócrates a apresentar uma moção de confiança, mas o primeiro-ministro declinou. "Acha que uma moção de confiança traria confiança ao país?", perguntou. "Uma moção originaria reacções de provocação. Não vou facilitar a vida aos que querem instabilidade", respondeu.

Foi então que Louçã, antecipando-se ao Partido Comunista, que já tinha mostrado disponibilidade para avançar com uma moção de censura ao Governo, anunciou que seria o Bloco apresentá-la daqui a um mês.

"Ainda há uma semana o Bloco de Esquerda, comentando uma declaração do PCP, achava que este não era o momento para se falar em moções de censura. Depois, para comentar declarações do PSD, afirmava que nunca faria o jogo da Direita, mas agora avança com o anúncio de uma moção de censura", criticou Sócrates.

Para o líder do executivo, esta sucessão de posições do Bloco de Esquerda "diz tudo sobre a coerência" desta força política. "Ainda mais do que incoerência, esta atitude demonstra bem o sectarismo do Bloco de Esquerda", lamentou.

Já no fim do debate, Sócrates classificou o anúncio do BE como sendo "uma colossal irresponsabilidade."