Viana do Castelo

Bombos e concertinas em manifestação contra "exploração mineira a céu aberto"

Bombos e concertinas em manifestação contra "exploração mineira a céu aberto"

"Governo escuta, o povo está em luta", são algumas das palavras de ordem que se fazem ouvir este sábado de manhã numa manifestação que está a percorrer ruas da cidade de Viana do Castelo.

Sete movimentos de Montalegre e Boticas, do Minho e associações ligadas à causa ambiental, juntaram-se num protesto, que pretendia receber o Secretário de Estado da Energia, João Galamba, à chegada, este sábado de manhã, para uma reunião com autarcas da região, mas que foi desmarcada.

A manifestação foi mantida, apesar da ausência do governante, e os discursos apontam todos o dedo "à forma como se pretende fazer a exploração mineira (minas a céu aberto)" em Portugal e como o processo tem sido conduzido pelo executivo.

"Espero que o Governo comece a ouvir a população, porque o povo está a crescer, a gente está a mobilizar-se cada vez mais, e espero sinceramente que comecem a olhar de uma vez por todas para o povo que se está a manifestar. As pessoas estão a ficar saturadas e extremamente desiludidas", disse Armando Pinto do Movimento Montalegre com Vida.

"O Governo, desde o início, nunca quis saber o que nós pensamos. Nunca chegou ao pé das pessoas que vivem ao lado das supostas minas e ouviu a nossa opinião, se aceitamos ou não viver ao lado de uma mina", sublinhou Armando Pinto: "Não vamos desmobilizar. Se o Governo acha que desta forma nos vai cansar, não vamos desistir. Vamos lutar até onde for preciso", acrescentou.

A manifestação teve como anfitrião o Movimento SOS Serra d'Arga e reuniu, além de cidadãos ligados aos movimentos anti-lítio, representantes de vários partidos como PSD e CDU. "A luta contra o lítio está a crescer. Esta manifestação, mais do que dizer que não queremos este programa de mineração, é para dar conta às pessoas que há gente que está a lutar pela região e para chamar mais gente para esta luta", disse Carlos Seixas do SOS Serra d'Arga.

Concertinas, bombos e castanholas, algumas tocadas por populares de aldeias da serra d'Arga animam o desfile. Mais do que um protesto, referiu Carlos Seixas, a concentração desta manhã "é uma festa minhota pela sustentabilidade e por uma forma de desenvolvimento boa, eficaz e ambientalmente sustentável". "Isso é o que nós queremos para a região, não queremos buracos. Não aceitamos buracos", declarou.

"O que se quer fazer na Serra d' Arga ou em Montalegre, é um problema que não responde aquilo que o Governo anda a vender às populações",disse Vasco Santos, do Movimento Terras do Cávado. "O que o Secretário de Estado vinha aqui fazer era vender uma ideia de soluções, onde na verdade só se encontram problemas. O lítio em si não é um problema. O problema é a forma como querem fazer a exploração com minas a céu aberto, que vão poluir a água, o ar e o solo", defendeu.

Durante o desfile, manifestantes exibiram cartazes e gritaram motes como "Futuro minado, não obrigado" e "Não à mina, sim à vida".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG