Fiscalização

Brinquedos lideram notificações de produtos perigosos na UE

Brinquedos lideram notificações de produtos perigosos na UE

Em 2019, houve um total de 2243 notificações no sistema de alerta rápido para os produtos perigosos da União Europeia, na sua maioria brinquedos (29%).

A Comissão Europeia alerta ainda para o facto de - ainda que não constem no relatório de 2019 divulgado esta terça-feira - terem sido registadas novas notificações relacionadas com o surto de covid-19, nomeadamente, até 1 de julho, 63 referentes a máscaras faciais, três sobre fatos de proteção, três referentes a desinfetantes para mãos e outras tantas sobre lâmpadas de ultravioletas.

Entre 1 de março e 1 de julho, houve 10 ações de seguimento dos alertas recebidos sobre máscaras faciais e uma sobre desinfetante para mãos, levando a uma maior harmonização das medidas contra tais produtos nos 31 países que integram a rede (27 Estados-membros da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Reino Unido) melhorando assim a proteção dos consumidores.

Os brinquedos lideraram as notificações sobre produtos perigosos (29% do total), seguindo-se os veículos automóveis (23%) e os equipamentos e aparelhos elétricos (8%), segundo os dados de 2019.

Os riscos mais notificados diziam respeito a um produto causador de lesões (27 %), como fraturas ou contusões. Os componentes químicos dos produtos foram a segunda maior preocupação assinalada (23 %), seguida pelo risco de asfixia de crianças (13 %).

Portugal contabilizou 46 notificações e 247 ações de seguimento, com os veículos motorizados a liderarem os alertas (96%), seguindo-se produtos químicos (2%) e mobiliário (2%). Em relação aos riscos identificados, 80% respeitaram ao perigo de lesão, 16% de incêndio e 2% químicos.

As medidas tomadas vão desde a retirada ou destruição de um produto por parte de distribuidores e retalhistas antes de chegar às mãos dos consumidores, até à recolha dos produtos não seguros junto dos utilizadores.

Outras Notícias