Guimarães

Caminhada solidária pelas Matildes do país

Caminhada solidária pelas Matildes do país

Não pára a onda de solidariedade com Matilde, a bebé a quem foi diagnosticada atrofia muscular espinhal, uma doença rara que afeta mais nove crianças em Portugal. Este sábado, mais de mil vimaranenses participaram numa caminhada solidária a favor da Matilde.

O evento organizado pelo Guimagym, o clube de ginástica de Guimarães, reuniu cerca de 1300 donativos, num total de 3045 euros. Tendo em conta que os pais da Matilde já conseguiram reunir mais de dois milhões de euros para comprar o medicamento que pode salvar a bebé de dois meses, o compromisso é "que esse valor seja distribuído por crianças que sofrem da mesma doença", explica Luís Rodrigues, do Guimagym.

O tiro de partida foi dado por três "padrinhos" ilustres, no caso o ex-futebolista Neno, a ex-atleta Rosa Mota e o atleta Manuel Freitas Mendes. "Guimarães mostra mais uma vez a sua força. Obrigado a todos, um beijo no coração de cada um, porque realmente é uma onda solidária magnífica", elogiou Neno.

A caminhada saiu a passo lento da academia de ginástica de Guimarães às 18.30 horas e durou cerca de uma hora, percorrendo as principais ruas da cidade. A serpente de camisolas brancas solidárias chegou ao fim maior do que começou, pois foram-se juntando mais pessoas que aderiram à causa solidária ao longo do caminho.

A compra do fármaco está dependente da aprovação por parte da Agência Europeia do Medicamento e da decisão da equipa médica que no Hospital de Santa Maria acompanha a bebé, que poderá formular um pedido de autorização especial para utilizar um medicamento que ainda não foi introduzido em Portugal. A ministra da Saúde, Marta temido, pediu, entretanto, que seja dado o tempo para que "os técnicos tenham um critério que seja decisor nestes casos".