Europeias 2019

BE critica PS por recuos no final de legislatura sobre temas "em que parecia sólido"

BE critica PS por recuos no final de legislatura sobre temas "em que parecia sólido"

A coordenadora do BE, Catarina Martins, considerou esta terça-feira "pouco aconselhável" que o PS, no final desta legislatura, esteja a recuar "em matérias em que parecia sólido", prometendo continuar à procura das "melhores soluções" no parlamento.

No arranque do segundo dia de campanha das europeias, a líder bloquista juntou-se à primeira candidata do BE a estas eleições, Marisa Matias, tendo sido questionada sobre as leis de bases da saúde e da habitação.

"Temos visto que o PS, agora no final deste mandato, em matérias em que parecia sólido, tem vindo a recuar", argumentou.

Catarina Martins respondia, nesta altura, às questões dos jornalistas sobre a Lei de Bases da Habitação.

"No caso da Lei de Bases da Habitação, eu lembro que o PS não está sequer a recuar em relação ao acordo que tinha feito com o BE, está a recuar em relação ao que o próprio PS apresentou e a deputada Helena Roseta apresentou", destacou.

Para a coordenadora do BE, esta postura dos socialistas "é pouco aconselhável".

"Mas estaremos no parlamento, como todos os dias, para encontrar as melhores soluções que possam servir a vida das pessoas", salientou.

A criação da Lei de Bases da Habitação motivou projetos de PS, PCP e BE, iniciativas legislativas que, no processo de apreciação, mereceram um total de 84 propostas de alteração, apresentadas pelos diferentes grupos parlamentes, incluindo PSD e CDS-PP.

A eliminação da ideia de requisição de habitações devolutas ou abandonadas mereceu o apoio de PSD e CDS-PP e a oposição de PCP e BE, bem como da deputada independente do PS Helena Roseta, autora do projeto inicial do PS, apresentado em abril de 2018.