Eleições

Nuno Melo elogia mudança de mentalidades dos mais jovens sobre o clima

Nuno Melo elogia mudança de mentalidades dos mais jovens sobre o clima

Nuno Melo, eurodeputado e candidato do CDS-PP às europeias, aponta a mudança de mentalidades dos mais jovens quanto ao ambiente como um dos trunfos para a resposta na defesa do planeta, em vésperas da greve climática estudantil.

A dias da greve mundial de 24 de maio, que também se realiza em Portugal, Melo acenou com as propostas do seu partido nas atuais eleições europeias como prioridades e respostas possíveis para o problema, mas antes assinalou, em declarações à agência Lusa, os progressos que deteta na mudança de mentalidades.

"O mundo altera-se quando as mentalidades mudam. Isso normalmente é o mais difícil e por isso é difícil alterar os hábitos dos mais velhos. Mas perceber que os mais novos têm essa preocupação, esses mais novos que não tarda muito, estarão a liderar, pode ser talvez a principal das diferenças", afirmou.

A agenda do ambiente, adotada pelo CDS-PP para a campanha destas europeias, é também uma das prioridades possíveis para responder aos desafios que os jovens colocam aos responsáveis políticos de hoje.

O combate às alterações climáticas é uma delas, com Nuno Melo a sublinhar que, independentemente de uma resposta global, deve ser tida em conta a realidade de cada país.

Como já fez em várias alturas nesta campanha eleitoral, o candidato e vice-presidente centrista cita estudos da ONU que apontam a Península Ibérica como uma das regiões da Europa que podem vir a ser mais afetadas com estas mudanças climáticas como a "diminuição da chuva, aumento das temperaturas, deslocalização de culturas, morte das populações mais vulneráveis, erosão de dois terços da costa".

Importa, afirmou, preservar os recursos aquíferos e defendeu o recurso à economia digital de forma a poupar água no regadio na agricultura, e deu como exemplo o prémio do congresso europeu de jovens agricultores que premiou um português com um projeto em Portel, distrito de Évora, recorrendo ao Alqueva.

Este é um projeto que utiliza "o digital" para "uma poupança de água que de outra forma, seria completamente impossível", descreveu.

Depois, tendo Portugal a terceira zona económica exclusiva da União Europeia, a preservação do mar é outros dos pontos da agenda com que, no Parlamento Europeu, Nuno Melo promete lutar para reafetar verbas comunitárias de forma a permitir a recolha do plástico das águas do Oceano.

Algo que é a benefício de Portugal, mas que também pode ter efeitos globais, a par de uma mentalização, em especial das novas gerações, para que se recorra "cada vez menos aos plásticos" e se utilizem "outros materiais equivalentes que já existem ou estão a ser desenvolvidos, nomeadamente em universidades portuguesas".

Marcada para 24 de maio, a segunda greve mundial de estudantes pelo clima pretende mais uma vez exigir dos políticos ações concretas contra as alterações climáticas e deverá levar para as ruas milhares de alunos de todas as idades em todo o mundo.

A primeira greve de estudantes pelo clima aconteceu a 15 de março deste ano e juntou, segundo a organização (www.fridaysforforture.org ), pelo menos 1,6 milhões de jovens de 125 países, incluindo Portugal, onde se realizaram protestos em mais de 20 cidades.

Os estudantes inspiram-se na jovem ativista Greta Thunberg, de 16 anos, que todas as sextas-feiras falta às aulas, indo para junto do parlamento da Suécia em protesto contra o que chama de "crise climática".

A ativista sueca tem criticado os políticos por "nada estar a ser feito para deter a destruição do clima" em discursos no Parlamento Europeu, no senado italiano ou em reuniões com deputados ingleses.

Em Portugal, a comissão parlamentar de Ambiente aprovou por unanimidade, em 07 de maio, uma proposta para convidar a jovem ambientalista sueca a discursar na Assembleia da República.