Resultados

Pior resultado de sempre do PSD deu vitória folgada ao PS

Pior resultado de sempre do PSD deu vitória folgada ao PS

Esquerda atinge 50% dos votos, com BE em alta e CDU em perda. Direita soma 28%, com CDS a bater recorde negativo. PAN elege eurodeputado.

O PS foi o claro vencedor das eleições, com mais onze pontos percentuais que o PSD, que obteve o seu pior resultado de sempre. Bloco de Esquerda, que ficou em terceiro lugar, e PAN, que elege um eurodeputado pela primeira vez, também têm razões para festejar. CDU e CDS nunca estiveram tão mal numas europeias.

Foi uma campanha marcada por temas de política nacional e guerrilha interna. Por força do discurso de socialistas e sociais-democratas, que transformaram as eleições de ontem numa espécie de primeira volta das legislativas de outubro. Por maior esforço que Rui Rio tenha feito ontem para separar os dois atos eleitorais, na ressaca do pior resultado de sempre do PSD: menos nove pontos do que nas europeias de 2009, a última vez que concorreu sozinho; e menos cinco pontos do que nas legislativas de 1983.

É o mau resultado dos sociais-democratas, aliás, que garante aos socialistas uma vitória que já não é "poucochinha" (como Costa a apelidou em 2014, para atacar Seguro), mas também não é a "enorme vitória" com que Pedro Marques tentou entusiasmar a militância. Quando se compara o resultado de 2019 e de 2014, o PS cresce menos de dois pontos percentuais. Suficiente, ainda assim, para aumentar a sua bancada de oito para dez deputados.

bloco em terceiro

A luta pelo terceiro lugar favoreceu desta vez o Bloco: sobe cinco pontos percentuais relativamente aos resultados de há cinco anos e passa de um para dois eurodeputados, conseguindo o segundo melhor resultado de sempre em europeias (em 2009, com Miguel Portas, ultrapassou os 10%). Praticamente o oposto do que aconteceu à CDU: perde cerca de cinco pontos, e passa de três para um único eleito em Estrasburgo. É o pior resultado de sempre dos comunistas, seja em europeias (piorando os 9% de 2004), seja em legislativas (com os 6,9% de 2006).

As perdas de uns compensam os ganhos de outros e, somando isso ao escasso progresso socialista, conclui-se que os três principais partidos de Esquerda, que sustentam o atual solução de Governo, chegaram aos 50% dos votos (mais dois do que há cinco anos).

Os dois principais partidos da Direita valem sozinhos um ponto mais do que em 2014. Mas, se isso não melhora o panorama no PSD, também não serve de consolo ao CDS, outro partido a somar um recorde negativo: foi o seu pior resultado em europeias, descendo dois pontos relativamente à noite eleitoral de 2009.

Finalmente, o PAN (Pessoas Animais Natureza): é um dos três vencedores da noite (com PS e BE), sedimentando a sua posição no sistema partidário nacional. Já tinha deputado na Assembleia da República, soma agora um eurodeputado em Estrasburgo: cresce mais de três pontos percentuais face a 2014.