Europeias

Jerónimo avisa: "Desenganem-se os agoirentos"

Jerónimo avisa: "Desenganem-se os agoirentos"

Jerónimo de Sousa garantiu, esta terça-feira, que "o PCP parte para as legislativas com confiança e determinação", apesar da derrota nas europeias. "Desenganem-se os agoirentos do costume, os que apostaram tudo contra a CDU e o PCP porque sabem que é em nós que reside a força capaz de fazer avançar os direitos dos trabalhadores e do povo", disse o secretário-geral, após uma reunião do Comité Central.

"Seria um erro de avaliação pensar que se poderia decalcar os resultados das eleições para o Parlamento Europeu nas eleições para a Assembleia da República", disse o líder comunista, prevendo "diferenças significativas".

Questionado, no final da reunião, sobre se a posição conjunta entre esquerdas para a governação socialista tem prejudicado a CDU em atos eleitorais, Jerónimo de Sousa reafirmou o "acerto da posição" adotada em 2015, mas admitiu que o Governo minoritário do PS possa ter "capitalizado" votos com a atual situação política e com a correlação de forças na Assembleia da República.

A candidatura dos comunistas foi uma das grandes derrotadas nas europeias. Não só a lista liderada por João Ferreira perdeu cerca de 188 mil votos e um eurodeputado, como também passou para o PS o primeiro lugar que a CDU tinha nos distritos de Setúbal e Beja. Além disso, perdeu força em Évora onde, novamente no segundo lugar, aumentou muito a diferença face aos socialistas. Nos distritos do Porto e de Lisboa, caiu para quase metade no número de votos. No primeiro caso, foi ultrapassada pelo PAN e no segundo pelo BE.

Enquanto PS, BE e PAN saíram reforçados nas eleições para o Parlamento Europeu, os comunistas voltaram a sofrer um desaire eleitoral após as perdas que deixaram o PCP sob aviso vermelho nas últimas autárquicas, o que na altura atribuíram em parte a uma incompreensão do eleitorado quanto ao papel desempenhado pelo partido na "geringonça" governativa. Mas, para além da fuga de votos para os outros partidos da Esquerda, há outros fatores a analisar pelo partido, tais como o envelhecimento do seu eleitorado em bastiões comunistas.

No sufrágio de domingo, a CDU só elegeu dois eurodeputados com os seus 6,9% e 227 mil votos que o deixaram em quarto lugar. Em 2014, a coligação entre PCP e "Verdes" chegou aos 416 mil votos, com 12,69%, quase o dobro da percentagem que garantiu o terceiro lugar.

No distrito de Setúbal, a candidatura de João Ferreira conseguiu menos 30 mil votos do que nas eleições de há cinco anos para o Parlamento Europeu. Passou de primeiro para segundo mais votado, ficando agora atrás dos socialistas. A percentagem da CDU caiu de 29% para 17%. E os votos de quase 75 mil para pouco mais de 44 mil. A diferença face ao PS aumentou brutalmente, tendo os socialistas o dobro da percentagem conseguida pela CDU e cerca de 90 mil votos.

A CDU também foi ultrapassada pelo PS e passou para o segundo lugar no distrito de Beja. Em 2014 estavam quase empatados. Agora o PS lidera com grande margem. Teve 36,6% e a CDU 25%. Os comunistas passaram de 16.721 votos para cerca de 10 mil. Ou seja, a perda é superior a seis mil votos.

Em Évora, continua no segundo lugar da tabela, atrás do PS. Mas perdeu força porque a distância também aumentou significativamente. Em 2014, a percentagem era muito próxima com ambos quase empatados na casa dos 30%. Cinco anos depois, socialistas têm 16.491 votos (34,89%) e CDU um total de 9.572 neste distrito (20,25%).

No distrito do Porto, os comunistas passaram para sexta força política, com 4,97% e atrás do PAN. Em 2014, a CDU teve o dobro da percentagem, com 9,9% (passou de 58.549 votos para quase 30 mil). Já em Lisboa, estava em terceiro e passou para quarto, sendo ultrapassada pelo BE. A percentagem desceu de 15,94% para 8,23% (teve 63.371 votos em vez de 114.925, ou seja, agora cerca de metade).