Europeias

PAN duplica os votos das legislativas e destaca-se como sexta força política

PAN duplica os votos das legislativas e destaca-se como sexta força política

O PAN (Pessoas-Animais-Natureza) mais do que duplicou nas eleições europeias de domingo os votos que tinha obtido nas legislativas, passando de aproximadamente 75 mil para 165 mil votos, e destacou-se como sexta força política mais votada.

Fundado em 2009, este partido defensor dos direitos dos animais e de causas ambientais conseguiu eleger em 2015 um deputado à Assembleia da República, André Silva, e agora elegeu também pela primeira vez um eurodeputado, Francisco Guerreiro.

Nestas eleições para o Parlamento Europeu, o PAN obteve mais de 165 mil votos, 5% do total, ficando em 6.º lugar, atrás das maiores forças políticas nacionais, PS, PSD, BE, CDU (PCP/PEV) e CDS-PP, a menos de 40 mil votos dos centristas.

Este resultado é mais do dobro do obtido nas legislativas de 2011 e o triplo da votação do PAN nas eleições europeias de há cinco anos, em que, então como Partido pelos Animais e pela Natureza, em que obteve cerca de 56 mil votos.

O novo partido Aliança, criado pelo ex-presidente do PSD e antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, estreou-se nestas eleições com uma lista encabeçada por Paulo Sande, que ficou em 7.º lugar, sem eleger nenhum eurodeputado e a mais de 100 mil votos de diferença do PAN: cerca de 61 mil votos, correspondentes a 1,9% do total.

O Livre, que voltou a concorrer com Rui Tavares como cabeça de lista, caiu agora para 8.º lugar, com aproximadamente 60 mil votos, correspondentes a 1,8%. Nas europeias de 2014, este partido tinha conseguido mais de 71 mil votos, 2,2% do total, ficando logo atrás das principais forças políticas nacionais e à frente do PAN.

A candidatura da coligação Basta! (PPM/PPV-CDC), encabeçada pelo ex-militante social-democrata André Ventura, ficou 9.º lugar, com cerca de 49 mil votos, 1,5% do total. Em 10.º lugar ficou o Nós, Cidadãos!, com uma lista liderada por Paulo Morais, com pouco mais de 1% dos votos.

O partido Iniciativa Liberal ficou em 11.º, que concorreu pela primeira vez a eleições, seguindo-se, por esta ordem, PCTP/MRPP, PNR, PDR, PURP, PTP e MAS - todos com menos de 1% dos votos