Nacional

Os desafios que nos trazem os novos paradigmas da energia

Os desafios que nos trazem os novos paradigmas da energia

Grande conferência, em fevereiro do próximo ano, será um dos momentos altos do Fórum de Sustentabilidade e Sociedade.

Anuncia-se como o momento alto do Fórum de Sustentabilidade e Sociedade: uma grande conferência, durante o mês de fevereiro do próximo ano (as datas concretas serão definidas e divulgadas oportunamente), em que se vão juntar grandes figuras nacionais e internacionais de diferentes áreas, da economia à arquitetura, da energia à política portuguesa e europeia. Uma organização das marcas de informação da Global Media Group (JN, DN, Dinheiro Vivo e TSF), com o apoio de parceiros como a Galp, a CGD, a Fundação Inatel, Grupo Bel e Câmara Municipal de Matosinhos.

Esta grande conferência vai decorrer durante dois dias, no Terminal de Cruzeiros de Leixões, em Matosinhos. O objetivo é que seja a primeira de uma série de conferências anuais que promoverão o conhecimento e o debate, com convidados nacionais e internacionais, num espaço de inovação, partilha e criação de valor. Em discussão estarão assuntos como o Acordo Verde Europeu, os novos paradigmas da energia, os desafios geopolíticos da Europa, ou os benefícios da digitalização para a sustentabilidade.

PUB

O desenho das cidades

O desenho final e a lista de personalidades que estarão presentes ainda estão a ser afinados, mas já há vários temas que prometem discussões envolventes e decisivas para o nosso futuro coletivo enquanto sociedade. Entre eles, o Novo Bauhaus Europeu, uma iniciativa criativa e interdisciplinar que liga o Acordo Verde Europeu (Green Deal) aos espaços que habitamos e às nossas experiências de vida. Propõe unir a sustentabilidade que procuramos à inclusão que precisamos e à estética com que sonhamos. Mas de que forma se propõe fazer isso? É o que pretendemos explicar antes e durante a grande conferência.

Mas há mais temas na agenda. Por exemplo: reinventar a forma de produzir e consumir energia tem reflexos no desenho das cidades. A curto ou a longo prazo, como projetar todas as transformações resultantes dos novos paradigmas da energia para a configuração urbana mundial? Algumas respostas serão seguramente trazidas pelos especialistas que estarão presentes.

Independência energética

Não podemos esquecer, por outro lado, o contexto geopolítico muito desafiante, em que a Europa desperta para a necessidade de diminuir as suas dependências energéticas de outras geografias. Podemos ambicionar a independência energética da Europa? Qual o papel de Portugal nesse cenário? Teremos alguns dos melhores desta indústria a debater com os nossos políticos quais serão as respostas mais adequadas.

E no que diz respeito à intervenção pública: ao nível municipal ou central, qual é o papel do Governo na transição energética? Que investimentos estão planeados no sentido de cumprir os objetivos traçados pela União Europeia para 2030 e para 2050 (baixar a emissão líquida de gases com efeito de estufa para zero)? E que tipo de medidas está o Governo a tomar para acelerar a transição energética? Perguntas que terão resposta antes e durante a grande conferência.

Para ler ou seguir ao vivo

Debates e propostas que terão uma ampla cobertura editorial ao longo dos próximos meses no Jornal de Notícias, no Diário de Notícias, no Dinheiro Vivo e na TSF. Temas para ler nas edições impressas do JN e do DN, para ouvir na antena da TSF, mas em particular para seguir na íntegra através de todas as nossas plataformas digitais. Teremos disponíveis para si todos os textos, entrevistas e análises produzidos a pretexto do Fórum, mas também poderá seguir em direto todas as iniciativas, através dos nossos sites. Esteja atento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG