Ciência e Investigação

Jerónimo de Sousa condena número "escandalosamente alto" de vínculos precários

Jerónimo de Sousa condena número "escandalosamente alto" de vínculos precários

O secretário-geral do PCP almoçou, esta segunda-feira, com investigadores e bolseiros no Clube Estefânia, em Lisboa. Jerónimo de Sousa condenou a precariedade nas áreas da Ciência, Investigação e Ensino Superior e pediu mais investimento do Estado nestas áreas. O líder da CDU voltou a encostar o Partido Socialista à Direita a propósito das últimas alterações à lei laboral.

Do outro lado do Oceano Atlântico, João Pedro Ferreira chegou ao Clube Estefânia, em Lisboa, por Skype. Faz Ciência há 10 anos e só conseguiu o primeiro contrato de trabalho há dois meses, na Universidade da Flórida, nos EUA. "A opção foi sair do meu país, onde gosto de estar, para vir para um país que tem um sistema péssimo de saúde, um sistema péssimo de segurança social", começou por explicar às cerca de duas dezenas de pessoas que participavam no almoço.

O investigador lamentou a "situação dramática" do setor, que confere uma grande instabilidade a quem não consegue um contrato de trabalho. João Pedro Ferreira quer reverter a situação, voltar a Portugal e dar um contributo ao trabalho científico desenvolvido no país. Na plateia, Helena Elias ouviu atentamente o testemunho do colega emigrado nos Estados Unidos. Tem 49 anos e está cansada da situação precária do setor. "Pensamos que podemos ter dignidade como trabalhadores académicos e científicos. Estamos sempre a ser adiados como pessoas e como seres humanos", lamentou ao JN.

No final do almoço no Clube Estefânia, que contou com a presença de diversos membros da CDU, nomeadamente de Cristina Cruzeiro, investigadora e candidata ao distrito de Lisboa, Jerónimo de Sousa deixou críticas à atuação da Direita, no que diz respeito à valorização das áreas da Investigação, Ciência e Ensino Superior. "A política seguida nos últimos anos para este setor tem conduzido ao estrangulamento e extinção do centro de investigação, dos laboratórios do Estado, ao envelhecimento do pessoal docente, investigador e técnico, à progressiva volatilidade das condições de trabalho", criticou.

O secretário-geral do PCP falou ainda dos resultados obtidos através do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP). "Dois anos depois de o Governo ter avançado com o processo, em junho, ainda só tinham sido formalizados 16 contratos de docentes e um investigador, segundo números dos sindicatos e da Associações dos Bolseiros de Investigação Científica".

Jerónimo de Sousa considerou urgente investir na Ciência e Investigação e terminar com a precariedade, com a "revogação de estatuto de bolseiro de investigação e a substituição das bolsas por contratos de trabalho, com a integração na carreira e valorização salarial".

Mais críticas às alterações à lei laboral

O líder comunista voltou a criticar as últimas alterações à lei laboral, "executadas pelo PS sempre com o aconchego do PSD e CDS", que contribuem para que "todos os patrões abusem da precariedade".

Outros Artigos Recomendados