PSD

Rio acusa Costa de esconder contas da saúde

Rio acusa Costa de esconder contas da saúde

O líder do PSD acusou António Costa de estar a esconder estrategicamente as contas do Serviço Nacional de Saúde até às eleições. Rio aponta uma razão: "é o setor onde o Governo mais falhou".

Rui Rio denunciou, esta terça-feira, que o Governo PS ainda não apresentou as contas do Serviço Nacional de Saúde (SNS), relativamente à gestão de 2018, como estava obrigado, por temer que o cenário "preocupante" do setor seja do conhecimento geral.

Segundo o presidente do PSD, o estado do sistema público de saúde dos portugueses conta com "diagnóstico mau" e "a degradação que se tem visto no Serviço Nacional de Saúde é particularmente preocupante". Aliás, "é o setor onde o Governo mais falhou" frisou, reforçando que "o Serviço Nacional de Saúde é onde houve mais falhas".

"O diagnóstico atual é mau. Até medicamentos faltam, as listas de espera para consulta são maiores, as para cirurgias são maiores, as dívidas do SNS aumentaram. E é curioso: estamos em setembro e ainda não saiu o relatório de contas do SNS - o único que temos é o de 2017, e suspeito de que ele não vai sair antes de 6 de outubro, apesar de se reportar a 2018", apontou Rio, à saída do Hospital Garcia D'Orta, em Almada, onde arrancou, ao meio-dia, a agenda do terceiro dia de campanha eleitoral.

"O que suspeito é que os números estão ainda piores do que o que podemos imaginar, por exemplo como neste concelho, que são as dívidas as fornecedores", disse, após cerca de 40 minutos de visita à área de pediatria e urgência desta unidade hospitalar, acompanhado pelo líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, e o deputado Ricardo Batista Leite, que coordena a área da saúde na bancada.

O líder laranja foi ainda perentório sobre o que está em cima da mesa na ida às urnas: "a 6 de outubro não vamos julgar o que aconteceu a desde o 25 de abril de 1974 até hoje. Vamos julgar o que aconteceu nos últimos quatro anos".

Para Rio, o SNS é o melhor exemplo da avaliação que tem de ser feita. "A que questão que se coloca não é a se o PS herdou problemas, [porque] herdou, seguramente. O balanço que se tem que fazer é: como é que (o SNS) estava em 2015 e como está em 2019. Está melhor ou está pior? Aí, a resposta é obvia, o SNS está pior do que estava em 2015".

O líder laranja recusou, entretanto, comentar assuntos do "foro interno" do partido, quando questionado pela participação de Luís Marques Mendes, esta noite de terça-feira, no jantar de apoio à cabeça de lista por Leiria, Margarida Balseiro Lopes.